Páginas

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Lembra da grávida que compartilhou fotos de sua barriga com preocupação? Sua experiência está longe de ser perfeita.


Por acaso você se lembra de Maria? Uma mulher de 36 anos grávida de trigêmeos, que nos surpreendeu com sua barriga colossal. A norueguesa compartilhou seu processo de gestação em sua conta no Instagram, mostrando como sua barriga ficou fora de controle ao longo dos meses. 










Quando ela postou as imagens de sua barriga na 34 semana de gravidez, internautas de todas as partes do mundo ficaram boquiabertos. 



O tempo passou e os trigêmeos, Iben, Agnes e Filip, completaram um mês. Desde que nasceram, Maria compartilhou belas fotos de seus filhos, enchendo sua conta no Instagram com alegria. 


No entanto, ela também queria mostrar o lado mais desagradável desse processo. Porque, embora seus filhos sejam lindos e junto o marido ela esteja radiante com a chegada deles, a experiência pós-parto está longe de ser perfeita.
Quatro dias após o parto, ela escreveu sobre seus primeiros sentimentos e pensamentos. Ela disse que nos dois primeiros dias mal conseguia se levantar devido à dor extrema causada pela cicatriz da cesariana. Mas, que as enfermeiras a fizeram andar um pouco de qualquer maneira. Pois disseram que se ela não o fizesse, seria ainda pior.
Ela ainda contou que foram dias complicados, porque durante os três primeiros, suas entranhas se contorciam constantemente e se movimentavam como se fossem cobras, causando muita dor. E isso não é tudo: o leite começou a sair, causando um ingurgitamento mamário, uma condição caracterizada pelo acúmulo de leite nas mamas, que também lhe causou muita dor. 


Uma semana após o parto, Maria esperava que seu útero voltasse ao normal: "Agora tenho uma barriga muito estranha, que ainda é bastante pesada. Meu útero ainda não encolheu, pois minha barriga estava tão esticada que leva mais tempo para voltar à normalidade do que o habitual”, compartilhou. 


Por ter tido uma gravidez tripla, seu útero levará de seis a oito semanas para retornar ao tamanho normal após a gravidez. 
Quando os trigêmeos completaram quatro semanas a mãe confessou estar decepcionada.
“Eu ainda estou com uma barriga de aparência estranha”. 


Apesar disso, há boas notícias: a cicatriz não doeu mais e nos últimos dias ela se sentiu melhor com seu corpo. 


Frequentemente, a gravidez e a mãe são idealizadas a um ponto que beira a fantasia. As mulheres que passam por isso não são felizes o tempo todo, nem precisa ser a melhor coisa que já lhes aconteceu. É um processo difícil, doloroso e complicado. Obrigado Maria por ajudar a destruir estereótipos desnecessários! 

Informações: UPSOCL
Imagens: Reprodução Instagram
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário