Páginas

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Ele nasceu sem as mãos, mas a sua história de superação vem impressionando a todos.


O que um bom cabeleireiro precisa ter? Ferramentas de qualidade? Talento? Cursos profissionalizantes? Provavelmente uma mistura de todos esses fatores, não acham? 








Pois bem, mas e seu eu te contar que um rapaz que nasceu sem a parte inferior dos braços e com uma perna mais curta que a outra, hoje é um cabeleireiro bem sucedido?
Difícil de creditar, não é mesmo? Mas é verdade. Ele se chama Gabriel Heredia, tem 20 anos e é Argentino. 


Por mais incrível que pareça não ter as mãos não o impediu de exercer a profissão quer queria - e ser muito bom nisso.
"Há pessoas por aí que me veem assim e não se animam muito em cortar o cabelo comigo", diz ele. "Mas, quando veem o corte finalizado, a verdade é que ficam sem palavras." 


Gabriel trabalha em Buenos Aires e conta que começou a carreira graças ao apoio da família e dos amigos.
Quando tinha 14 anos, ele pegou a máquina de cortar cabelo de sua mãe e cortou o cabelo de vários amigos. Então, ele começou sua jornada como barbeiro, vencendo em 2017 o prêmio de melhor barbeiro na Argentina, segundo a Telefe Noticias. 


Desde então, Gabriel passou a ter vários clientes, que faziam fila para cortar o cabelo com ele. Isso o ajudou a adquirir a experiência necessária para poder trabalhar como cabeleireiro profissional. 


O jovem disse em entrevista a imprensa local que, embora sua mãe tenha lhe dado uma prótese para ajudá-lo a realizar suas atividades, ele nunca conseguiu se acostumar com elas.
Gabriel é hoje um exemplo de superação e afirma que nada o impedirá de seguir trabalhando com isso.
"Cada pessoa se impõe seu próprio limite, até onde queira chegar, até a meta que queira atingir", diz. "Sempre temos que seguir em frente, nunca se deixar levar pelo que te dizem os outros.".
Os internautas não pouparam comentários ácidos em relação a história do rapaz e escreveram coisas como:
“Enquanto isso está cheio de gente que tem as duas mãos, as duas pernas, mas preferem virar pedintes a procurar algo pra fazer...”, disse um.
E outro completou: “Se fosse no Brasil, estaria aposentado por invalidez vivendo de benefícios do estado”.
Enquanto outros se dedicaram apenas a enaltecer a força de vontade de Gabriel. 
“Rapaz esforçado! Admirável!”.
E você que nos assiste, o que tem a dizer sobre o caso? 

Informações: BBC News e Telefe Notícias
Imagens: Reprodução BBC e Telefe Notícias
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário