Páginas

terça-feira, 5 de junho de 2018

Menino que aprendeu a ler com 1 ano e meio revela sua vida passada em Marte com detalhes e intriga cientistas.


Desde o início da história humana, o homem sempre teve certo fascínio por descobrir coisas novas e responder aos fatos que lhe dizem respeito, tais como: de onde vem o ser humano? Existe vida após a morte? Estamos sozinhos no universo, ou existe a possibilidade de encontrar vida em outros planetas? Todas as histórias relacionadas a este tipo de tópicos fascinam qualquer pessoa. 



Segundo alguns cientistas, os alienígenas já visitaram a terra no passado e todas as evidências foram escondidas pelos governos secretos de alguns países com a intenção de proteger a humanidade, evitando o caos e o pânico. 
Embora o governo tenha “supostamente” escondido esses segredos, um menino russo revelou que havia vida em Marte.
Boris Kipriyanovich ou Boriska, é um menino russo que se mostrou muito diferente de outras crianças desde que era muito jovem. Seus pais dizem que ele nunca foi "normal" e que, quando tinha apenas alguns meses de idade, ele poderia mencionar algumas frases completas, raramente chorava e quando tinha um ano e meio ele aprendeu a ler. Quando tinha três anos de idade ele podia falar corretamente e comentar sobre assuntos relacionados ao universo, algo que deixou seus pais horrorizados e igualmente intrigados. 


Teoricamente, Boriska lida tão bem com estes assuntos pelo simples motivo de ter passado muito tempo estudando sobre eles, mas, mesmo assim é estranho que essa criança saiba tanto sobre o universo, mesmo coisas que seus pais nunca comentaram com ela, é como se tivesse testemunhado eventos no espaço exterior. 


Quando o pequeno Boris completou 5 anos de idade, ele havia surpreendido muitas pessoas. No entanto, seus pais começaram a temê-lo e estavam muito preocupados com o filho. Tudo o que a criança falava era impressionante. Inicialmente, seus pais estavam orgulhosos por seu filho ser muito inteligente, mas com o passar do tempo tudo mudou, eles começaram a ficar alarmados, principalmente, quando a criança começou a falar sobre sua vida passada. 


Boriska diz que antes de chegar à Terra, ele viveu no planeta Marte. Com grandes detalhes, ele começou a descrever sua suposta vida anterior. Ele destaca que havia um planeta chamado “Proserpina”, que foi destruído por um raio solar bilhões de anos atrás e isso obrigou seus habitantes a viajar para a quinta dimensão para se protegerem da extinção total. O menino comenta que ele testemunhou tudo isso porque viveu em Marte. 


Mais tarde, Boriska começou a contar que costumava viver em Marte, na época em que o planeta ainda era habitável, e que visitava a Terra com frequência em missões científicas — aliás, era ele quem pilotava a nave. Segundo o garoto, então, o nosso planeta contava com um único continente habitado, Lemúria, e ele servia de lar para os lemurianos, uma civilização composta por seres com mais de 9 metros de altura.
Esse continente teria se fragmentado e sido engolido pelo oceano depois de uma série de montanhas explodirem na superfície há cerca de 800 mil anos, levando ao desaparecimento dos lemurianos e de sua terra. Segundo Boriska, a civilização que vivia em Marte também quase desapareceu por completo quando o planeta perdeu sua atmosfera e água.
Conforme dizia, Marte era habitado por pessoas muito parecidas com os terráqueos atuais, mas uma guerra nuclear acabou devastando o Planeta Vermelho completamente. Entretanto, alguns marcianos se salvaram, e hoje vivem em cidades que foram construídas sob a superfície — onde tiveram que se adaptar para respirar principalmente dióxido de carbono.
Ele também contou o motivo de tantas sondas espaciais terem se acidentado ao se aproximar do solo marciano: as baterias desses equipamentos emitem radiação e, portanto, estações espaciais que existem no planeta emitem sinais para danificá-los. 


Boriska dizia se lembrar da época da construção das pirâmides do Egito e afirmou que não vamos achar nenhum conhecimento dos antigos egípcios enterrado sob a Pirâmide de Quéops. Segundo ele, o conhecimento se encontra sob outra pirâmide, uma que ainda não foi descoberta, e as vidas dos humanos mudarão quando a Esfinge for aberta — por meio de um mecanismo atrás de uma das orelhas da estrutura. 


Ao falar sobre o nosso planeta e o motivo de os terráqueos adoecerem, Boriska contou que as doenças vêm da nossa incapacidade de viver de forma correta e ser feliz. Segundo ele, as pessoas jamais deveriam interferir nos destinos dos outros nem sofrer devido a erros cometidos no passado. Cada um de nós deveria entrar em contato com o que foi predestinado para as nossas vidas e tentar alcançar os nossos sonhos.
Além disso, deveríamos ser mais compassivos e bondosos, amar os demais incondicionalmente e ser mais humildes. De acordo com Boriska, os lemurianos morreram porque não quiseram desenvolver sua espiritualidade e saíram da trajetória que havia sido predestinada para esse povo, destruindo a integridade do planeta com isso.
Obviamente, o caso de Boriska chamou bastante a atenção de especialistas e cientistas da Academia Russa de Ciências, assim como a de pesquisadores de outras partes do mundo. Todos os que tiveram a oportunidade de conversar com o menino se disseram assombrados por seu conhecimento e vocabulário — e nunca negaram que as histórias de Boriska podiam ser fruto de sua imaginação. 


Mas mesmo assim é muito impressionante, já que esse garotinho nunca estudou astrofísica, e também tem um vocabulário surpreendente para sua idade. Até agora não foi descoberto se suas histórias são verdadeiras.
Todavia, este pobre menino sofreu muito na escola devido a suas revelações e por isso seus colegas começaram a chamá-lo de "louco", então seus pais decidiram retirá-lo da mídia para que não causasse mais problemas para o filho. 

Para ter acesso à entrevista de Boriska na íntegra, clique aqui.

Informações: Porque No Se Me Ocurrio
Imagens: Youtube e Reprodução
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário