Páginas

terça-feira, 5 de junho de 2018

Mãe fica confusa quando filho saudável diz que vomitou na aula. Logo depois, descobre o segredo da professora.


Quando você é pai ou mãe, pode ser assustador testemunhar seu filho derramando lágrimas por um motivo desconhecido.

Quando eles se machucam brincando ou sofrem uma queda, isso pode ser explicado. Bem como, quando se assustam por algo óbvio - como escuro ou um barulho alto, por exemplo. Mas e quando eles são voltam mais cedo da escola para casa em prantos?



Obviamente, todos pensariam em bullying. Normalmente, vindo de outra criança.
É por isso que foi extremamente angustiante para a mãe Kelicia, quando Kelon Johnson-Chaney, de 4 anos, foi mandado da escola para casa, tendo passado a última parte do dia chorando tanto que até vomitou.


Kelicia sabia que algo não estava certo - Kelon não estava doente. Quando ela descobriu a verdade, era mais do que ela podia suportar.
O menino de quatro anos disse a ela que se meteu em encrencas por dar risada durante a aula. A ação disciplinar usual da escola para tal comportamento era um intervalo - algo que a professora e sua assistente conheciam muito bem.


No entanto, em vez de seguir as diretrizes usuais, as duas optaram por uma punição mais criativa; inspiradas por um livro que eles estavam lendo em sala de aula.
O livro em questão se chama The After-School Monster (O Monstro Depois da Escola, em tradução livre) e concentra-se numa menina que chega da escola para encontrar um monstro gigante no seu armário. A única maneira de ela derrotá-lo é canalizar sua própria coragem.


Kelon descreveu para sua mãe como ele foi deixado trancado em um armário para o seu “intervalo”. Como se isso não fosse irritante o suficiente para uma mãe ouvir, ela então descobriu que a professora contou ao garoto que não se tratava de um armário comum.


A professora de Kelon havia afirmado que havia um monstro lá dentro, referindo-se a ele simplesmente como “Monstro do Armário”. Kelon ficou aterrorizado com isso, assim como seus colegas de classe, alguns dos quais também passaram algum tempo dentro do armário.


Considerando que as crianças que foram trancadas a força no armário - por até cinco minutos cada - estavam entre as idades de três e quatro anos, fica fácil entender como esta forma de punição foi cruel.
A Dra. Annette Cluff, a superintendente da escola, tomou medidas imediatas, primeiro suspendendo, depois demitindo a professora e a auxiliar.


Nenhuma criança deveria ter que suportar o estresse psicológico que Kelon e seus colegas foram submetidos como resultado das ações de seus professores. 

Informações: Daily Mail e Newsner
Imagens: Reprodução FOX26
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário