Páginas

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Menina tem perna implantada ao contrário para realizar sonho de ser atleta. É impressionante o que os médicos fizeram.


Uma menina de sete anos, chamada Amelia Eldred, de Tamworth, na Inglaterra, foi diagnosticada com osteossarcoma, uma forma rara de câncer que afeta principalmente a extremidade dos ossos longos. 






Por conta da doença, ela teve a maior parte de sua coxa removida, de modo que será necessário o uso de uma prótese.

A grande questão, no entanto, é que Amelia adora andar de bicicleta, correr e sonha em ser dançarina. Preocupada de que não pudesse dançar novamente, ela surpreendeu os médicos com sua rápida adaptação à perda da perna. 


A garotinha achou que seus sonhos nunca se realizariam, quando foi diagnosticada com um osteossarcoma no fêmur esquerdo. Ela passou por três sessões de cinco semanas de quimioterapia, seguidas de uma cirurgia bastante rara, chamada plastia de rotação. O procedimento inverte a posição do pé e transforma o calcanhar do paciente em um joelho, permitindo a realização de movimentos mais complexos com a perna acoplada a uma prótese. Assim, Amelia poderia voltar a nadar, correr, andar de bicicleta e dançar. 


“Após a cirurgia, ela está se curando muito bem e surpreendendo os médicos com a rapidez com que está movendo a perna e o pé adaptados”, disse Michelle Eldred, mãe de Amelia. 


Ainda segundo a mãe, a menina ficou doente na primeira semana das férias escolares, enquanto brincada e sua perna “cedeu” e começou a inchar. Seus pais tentaram colocar compressas frias para reduzi-la, mas o problema persistiu. Eles consideraram que um vaso sanguíneo poderia ter sido rompido, embora uma semana depois o inchaço ainda estivesse presente. 


“Nós a levamos de volta ao hospital e os médicos fizeram uma radiografia. Fomos mandados direto para o Hospital Infantil de Birmingham, onde confirmaram que ela tinha um tumor de 10 centímetros no fêmur”, disse a mãe. 


No sétimo aniversário de Amelia, uma biópsia revelou que o tumor era agressivo e de alto grau, pois, mesmo após a quimioterapia, não havia desaparecido. Então, os pais foram avisados de que a perna da menina precisaria ser amputada.


A cirurgia foi realizada e uma avaliação mostrou que os ossos estavam se fundindo bem. É possível que, em cerca alguns meses, a menina seja capaz de colocar peso na perna e use uma prótese adaptada. O problema, no entanto, é que ela precisará de algo melhor do que está sendo oferecido pelo sistema de saúde pública do Reino Unido, o NHS, de modo que sua família está angariando fundos para poder comprar um modelo de R$ 143 mil para que ela possa voltar a praticar todos os seus hobbies, incluindo a dança. 



“Amelia sempre foi uma criança ativa, frequentou vários clubes: natação, atletismo na escola, dança de rua, balé e sapateado, acrobacia e ginástica”, disse a mãe. “Além disso, ela adora andar de bicicleta e correr. Ela sonha um dia em voltar a dançar e se apresentar em um palco. Ela estava tentando se juntar a um novo clube de ginástica em Tamworth, antes de seu diagnóstico”. 


É muito bom saber que os avanços na medicina ajudam tantos às pessoas que passaram por provações terríveis a ter uma vida muito próxima do normal, em que podem lutar para realizar seus sonhos. 

Informações: Daily Mail e Metro
Imagens: Reprodução
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário