Páginas

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Homem é identificado como pai biológico de 102 crianças na Holanda. Agora todos estão abalados.


Um grupo de mães percebeu a estranha semelhança entre os filhos e decidiu investigar. Todas passaram por tratamentos de inseminação artificial em várias clínicas de fertilidade e suspeitavam que o sêmen do doador anônimo pertencesse ao mesmo homem. 





Eles transferiram suas suspeitas para o Ministério da Saúde que, após longa e exaustiva investigação, confirmou a notícia: um homem solteiro é o pai biológico de 102 crianças.
O caso abalou a Holanda e destacou a necessidade de criar um registro nacional de doadores que impeça uma única pessoa de doar mais do que o número permitido de vezes.
De acordo com a lei da inseminação artificial, cada homem pode fazer um máximo de 25 doações para reduzir ao máximo a possibilidade de que meio irmãos possam se encontrar e ter filhos no futuro.
A identidade do pai não foi revelada, mas sabe-se que ele fez mais de 100 doações em 11 clínicas diferentes. As motivações? Economia com certeza não. Cada pessoa recebe apenas 50 euros por doação em custos de transporte. O pai biológico de 102 crianças afirmou que sua intenção não era "ter tantos filhos quanto possível", mas "fazer as pessoas felizes". 


Atualmente, na Holanda, um registro só é acessível a crianças que querem saber a identidade de seu pai biológico, mas que não podem acessar clínicas de fertilidade.
"Por não termos um registro nacional que coleta dados sobre todos os doadores de esperma na Holanda, as clínicas de fertilidade não podem verificar se um homem doou em outros centros ou nas vezes que doou", explica o Dr. Jesper Smeenk, da Sociedade Holandesa de Obstetrícia e Ginecologia (NVOG).
"Definitivamente, precisamos de um registro nacional para que todos os sêmens utilizados para tratamento de fertilidade sejam registrados e que os centros tenham autorização para acessar e garantir que um doador não tenha mais de 25 crianças", resume o ginecologista. 

Informações: Playground
Imagens: Reprodução
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário