Páginas

terça-feira, 8 de maio de 2018

Este bicho asqueroso pode estar comendo seu cão ou gato vivos. Saiba como eliminar este intruso.


Eles são aquelas famosas larvas de moscas que se desenvolvem logo na parte interna da pele de animais, principalmente dos cães que vivem em lugares como o campo, e até há casos de infestações em seres humanos. Quando eles infestam a pele, proliferam suas larvas de moscas em tecido propriamente vivo. 




Conhecido como Berne, tapuru ou dermatobiose, trata-se da fase larval de uma mosca da família Oestridae, chamada “Dermatobia hominis” (mosca do berne ou mosca varejeira). Antigamente eram mais comum os casos de berne (dermatobiose) em humanos, felizmente hoje em dia, os casos parecem cada vez mais raros, no entanto, nossos animais de estimação podem ser uma prato cheio para eles. 


Mas, como ele vai parar na pele? Assim que as fêmeas da “mosca do berne” tem seus ovinhos fecundados, elas saem em busca de uma tarefa difícil: procuram por outros artrópodes que se alimentam de sangue (carrapatos e mosquitos, por exemplo) para que funcionem como “carona” para seus ovos. Elas fazem a postura no corpo dos mosquitos e carrapatos para que no momento em que forem se alimentar do sangue dos animais, os ovos possam estar no local ideal para o desenvolvimento das larvas. Em outras palavras, é como se pegassem uma carona no corpo dos mosquitos, literalmente.
Uma vez na pele do animal (ou humano), os ovos eclodem e as larvas ficam livres. É claro que elas são muito pequenas e normalmente passam despercebidas. Através de uma ferida ou pelos folículos pilosos elas penetram e permanecem na camada subcutânea da pele.
O corpo do indivíduo infectado reage à presença do parasita, aumentando a sua contagem de células brancas do sangue, e isso muitas vezes faz com que a ferida para secretar pus. Enquanto isso, a larva se alimenta constantemente, respirando pelo buraquinho formados pelas pústulas. Elas podem permanecer ali de 5 a 10 semanas. 


Assim que atingem seu último estágio de desenvolvimento, elas precisam deixar o corpo do hospedeiro.
Então, geralmente durante a noite a fim de evitar desidratação, elas saem pelo orifício para caírem no solo onde formam uma pupa (tipo um casulo de borboleta) e somente em depois de cerca de um mês é que o adulto emerge e saem a procura do parceiro para começar tudo de novo.
Quando um ser humano ou animal são atacados por bernes, eles irão apresentar diversos caroços espalhados por todo o corpo. Para você se livrar dessas coisas nojentas, você deve extrai-las para se livrar da dor e do incômodo. É importante que a larva seja retirada de maneira inteira, pois dessa forma é mais fácil de ser removida, tentar retirar um berne que estourou ou ficou pela metade será um trabalho dobrado. 



Se demorarem a ser retirados, dentro de 1 semana, o berne já aumenta 8 vezes de tamanho. 


É realmente assustador pensar que nesse momento algo tão asqueroso pode estar “devorando” nossos amigos de quatro patas. Por isso, fiquem de olho nos sintomas! 


Como as larvas nos seus diferentes estágios possuem espinhos ao longo do corpo e ao se movimentarem de forma retrátil, provocam dores e irritação, o animal se torna inquieto e estressado. Em infestações altas, há um emagrecimento, perda da capacidade produtiva e eventualmente a morte, principalmente se for jovem. 


Para evitar que seu animal tenha Berne, ele precisa viver em locais higienizados. Não deixe as fezes do animal no local, limpe sempre que seu cão defecar e urinar. Mantenha também o lixo sempre fechado. Faça tudo o que puder pra evitar que moscas vão ao local onde seu cachorro vive. 

Informações: Diário de Biologia e Tudo Sobre Cachorros
Imagens: Reprodução
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário