Páginas

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Mulher perde a vida após picada misteriosa de praga comum. Agora sua família está alertando a todos.


Se você ainda não ouviu falar do vírus Bourbon, talvez seja algo que você deva se informar. Detectado recentemente em 2014, é muito real e muito perigoso. O primeiro homem a morrer foi do condado de Bourbon, Estados Unidos, daí o seu nome. 

Infelizmente, desde a sua descoberta, o vírus continua a reivindicar vidas. Desde então, foi encontrado em várias partes dos EUA. 


Foi no Memorial Day de 2017, nos Estados Unidos, que Tamela Wilson, de 58 anos, encontrou dois carrapatos em seu corpo quando estava trabalhando. Ela removeu os dois parasitas e não pensou muito mais sobre isso. Depois de um tempo, no entanto, ela começou a se sentir estranha. 


Tamela visitou médicos e foi informada de que tinha uma infecção no trato urinário. Ela recebeu antibióticos e foi mandada para casa. 
Porém, os antibióticos não ajudaram, e a condição de Tamela se deteriorava a cada dia que passava. 
“Ela literalmente não conseguia nem pegar o telefone. Ela não tinha força”, disse a filha de Tamela, Amie May, à CBS News.
“Minha irmã ligou para ela e não conseguia segurar o telefone. Minha mãe disse que o telefone estava tocando, mas ela não conseguia atender”.
Quanto aos médicos, eles ficaram perplexos. Eles explicaram aos parentes de Tamela que sua condição era um mistério médico. Eles tentaram ajudar, realizando inúmeros exames e fazendo tudo o que podiam para diminuir a deterioração de Tamela - nada funcionou. Sua pele ficou rachada e seca, ela estava cada vez mais fraca.


Eventualmente, a doença lhe tiraria a vida. Ela morreu no dia 23 de junho. 


Tamela foi mal diagnosticada por um longo período de tempo, o que agravou a questão, mas mesmo assim havia pouca esperança para ela.
Steven Lawrence, médico especializado em doenças infecciosas na Universidade de Washington, disse que os funcionários que trataram Tamela não estavam suficientemente informados sobre o vírus para identificar seus sintomas. 


A família de Tamela entrou em um acordo e decidiu que seu corpo seria doado para a ciência e a pesquisa. Os especialistas querem saber mais sobre o vírus Bourbon e descobrir como e por que isso afeta as pessoas da maneira que faz. 
Infelizmente, no momento atual, não há vacina ou cura disponível. 
Suspeita-se que o vírus é transmitido através de carrapatos e outros insetos que picam, mas os cientistas ainda não confirmaram que este é definitivamente o caso. 


No caso do paciente – que acabou por nomear o vírus - foi relatado ter sido mordido por vários parasitas, incluindo um carrapato cheio de sangue encontrado em seu ombro poucos dias antes do início dos sintomas do vírus Bourbon. Isso levou os pesquisadores a acreditar que os carrapatos poderiam ser os portadores principais, embora ainda não tenha sido comprovado concretamente.
Os sintomas do vírus Bourbon incluem febre alta, dores de cabeça, diminuição do apetite, dores musculares e articulares, fadiga, náuseas, vômitos, diarreia e erupções cutâneas no abdômen, peito e costas.
Para se proteger quando estiver ao ar livre, use roupas de mangas compridas e um repelente de insetos forte quando estiver em áreas rurais. Se você passou por locais com grama alta, verifique sempre a si mesmo completamente.
Pode não haver atualmente nenhum tratamento ou vacina para o vírus, mas fornecendo informações sobre os sintomas da doença, médicos e pesquisadores esperam que os casos possam ser minimizados.
Quanto à família Wilson, sua perda é obviamente trágica. Ao mesmo tempo, a família pode viver orgulhosamente sabendo que o corpo de Tamela foi usado para ajudar a ciência a encontrar novas formas de combater o vírus.


Esperamos que possa salvar mais pessoas no futuro. 

Informações: CBS Via Newsner
Imagens: Youtube, Fox 6 e Flickr
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário