Páginas

terça-feira, 27 de março de 2018

Saiba da onde vêm estes bichos que estragam suas roupas no armário. Aprenda como se livrar deles.


Você provavelmente já encontrou uma traça dentro da sua casa. Se você não se lembra, provavelmente a confundiu com uma sujeirinha na parede. Ela é um dos três tipos de traças que podem aparecer em nossas casas. Popularmente conhecida como traça de roupas, trata-se de uma mariposa minúscula da família Tineidae. 




Estas pequenas mariposas que pouco voam e não são atraídas pela luz são comumente vistas no fundo de armários e gavetas, podendo ser encontradas também, nas paredes de casa. As fêmeas colocam os ovos em locais aquecidos e longe da luz, como roupas, tapetes, armários ou caixas de papelão, onde a umidade esteja em torno de 75%. Logo após a postura, essas fêmeas morrem. 


Esses ovos possuem uma substância adesiva que se prende as fibras dos tecidos. Assim, quando eclodem, as larvas recém-nascidas tecem aquele pequeno “estojo” que confundimos com sujeira. São elas que comem suas roupas. 


Elas se alimentam da queratina encontrada em roupas de fibra natural ou que estejam impregnadas com suor, secreções ou resto de alimentos. Por isso, os lugares mais atacados são perto do umbigo ou no ombro, já que é por lá que passa o cinto de segurança dos carros e, portanto, onde é mais fácil acumular o suor. 



Quando as larvas estão prontas para passar para o estágio de pupa, migram para os cantos de paredes, ou frestas. Quando isso acontece, podemos vê-las rastejando, um sinal de que se alimentaram o suficiente e estão prontas para abandonar o invólucro protetor. 


Uma forma de acabar com este problema é lavar o guarda-roupas com frequência. Limpar os armários que estão sendo atacados, podendo inclusive pulverizar algum inseticida em spray ou sachês naturais com cravo-da-índia. 


As roupas que estavam na área atacada devem ser lavadas e passadas a ferro. Também podem ser postas no freezer por 3 dias. É importante não misturar as roupas já limpas com as que ainda precisam passar por este processo. Também não devemos recoloca-las no armário sem ter certeza de que lá já está limpo também, senão, fica difícil quebrar o ciclo de reprodução delas. 
Só não se esqueça que as vezes um furinho na roupa pode não ser culpa das traças, mas sim do desgaste natural, de alguma lasca da madeira ou prego levantado no armário ou algum outro problema de atrito. 

Informações: Diário de Biologia e Blog das Pragas 
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário