Páginas

quarta-feira, 14 de março de 2018

Protetores comprovam que pescadores utilizavam cães e gatos vivos como isca para pescar tubarões.


Quando pensamos que o ser humano já machucou os animais de todas as formas que poderia fazê-lo, notícias nos mostram que muito ainda deve ser fiscalizado para impedir práticas desumanas. 







Hoje voltaremos a mais de uma década atrás. Na época a internet não estava tão evoluída como agora, e as notícias não corriam tão rápido, por isso alguns de vocês possivelmente não ficaram sabendo da história terrível que te contaremos. 
Em 2005, um caso muito específico abalou a Europa e posteriormente o mundo. Relatos perturbadores revelaram que pescadores da ilha francesa “La Réunion” localizada no Oceano Índico estaria usando cães e gatos como iscas vivas para pescar tubarões. Isso mesmo ISCAS VIVAS. 
O método cruel funcionava da seguinte maneira: os animais tinham anzóis enormes enganchados em seus focinhos e eram jogados ao mar com boias na intenção de que um tubarão os devorasse e ficasse com o anzol preso em seu corpo, facilitando assim sua captura. 


Naquela época, ativistas e ONGs que lutavam pelo bem-estar dos animais divulgaram vídeos de cães (e às vezes gatos) fisgados com anzóis robustos. A notícia foi espalhada através de e-mails. Muitas pessoas não acreditaram nos relatos e julgavam ser uma estratégia publicitária iniciada a fim de interromper a pesca aos tubarões, muito comum naquela ilha. No entanto, investigações realizadas pelas autoridades francesas confirmaram que alguns incidentes realmente ocorreram.


Pescadores foram flagrados prendendo anzol nos animais de estimação, com um dos filmados sendo julgado e condenado, posteriormente. Ele usou um filhote de cachorro para tentar pescar um tubarão. Em sua defesa, durante o julgamento, o homem alegou que os cães roubavam suas galinhas, e ele queria apenas acabar com eles. 
De acordo com os registros policiais, o caso era exclusivo de um grupo de pescadores e não envolvia um esquema grandioso. Com as novas leis de proteção animal e ambiental, a fiscalização e a punição ficaram maiores e mais rígidas, com nenhum outro registro de casos semelhantes registrados, desde então. 
Uma estação televisiva Francesa angariou mais de 400 mil assinaturas, graças à sua página na Internet. Isso foi enviado a François Barquin, ministro das colônias francesas. Ele foi capaz de impor severas sentenças de prisão, a esterilização desses animais e a proibição de animais domésticos em embarcações. 
Toda essa comoção foi possível graças ao fato de que também em 2005 um cão foi encontrado na costa dessa ilha. Acredita-se que conseguiu quebrar o gancho na linha de pesca e chegar à praia nadando. Era um Labrador de seis meses de idade. Após a recuperação do animal, ele foi devolvido aos seus proprietários originais. 
Até hoje, a ilha La Réunion é considerada um local ideal para a realização da pesca de tubarão. Apesar de não se saber se a prática foi combatida, os cães abandonados, que eram frequentes na região, não são mais encontrados por lá. Resta a dúvida do destino deles, que ou foram retirados da ilha por ativistas, ou continuaram virando iscas. 

Informações: Zoorpreendente e Best of Web
Imagens: Reprodução Zoorpreendente
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário