Páginas

quarta-feira, 21 de março de 2018

Multimilionário deixa tudo para viver em uma caverna. Quando você a vê por dentro, logo entende o porquê.


Na maioria de nós, após anos na agitação da cidade, floresce o desejo de fugir para um abrigo sossegado e tranquilo, longe da civilização e poluição, onde o que predomina é a natureza e o ar puro. No entanto, às vezes deixamos esse desejo de lado e nos limitamos e ficar em nossa zona de conforto. 









Mas, esse não foi o caso de Angelo Matropietro, diretor de uma empresa de sucesso na Austrália que decidiu abandonar seu estilo de vida repleto de ostentação e luxo, para viver dentro de uma caverna em Worcestershire no Reino Unido. 




Angelo descobriu essa caverna quando fazia um passeio de bicicleta pela região e decidiu se abrigar nela após uma chuva pesada. Mas foi apenas vários anos depois que ele recebeu uma oferta para compra–lá. E não perdeu tempo, ele sabia que era uma ótima ideia para construir sua casa e fugir do caos da cidade. 


Foram cerca de 200 mil dólares investidos e mil horas trabalhando para escavar mais de 70 toneladas de rochas, além da perfuração para ter acesso a um fluxo de água doce. 











Muitos se perguntavam como um homem tão bem-sucedido, com tanto dinheiro e uma vida invejável, poderia ir morar numa caverna, pois viver no subsolo não era algo que muitos consideravam "normal", no entanto, suas razões iam muito além disso. Em 2007, os médicos diagnosticaram Angelo com esclerose múltipla, uma doença do sistema nervoso central que causa a perda de mobilidade. 


“Minha vida antes de eu ser um homem das cavernas era muito diferente”, conta o australiano para o Oddity Central. “Assim como a maioria das pessoas, eu tinha ambições na minha carreira e no mundo corporativo. E depois tive uma quebra que me deixou praticamente paralisado, o que foi um catalisador para repensar onde eu estava, para onde estava indo com meu estilo de vida. Eu queria estar em um lugar onde pudesse ter uma vida feliz e saudável.” 


Sua família o apoiou desde o primeiro momento. 



O objetivo deste homem foi alcançado pouco a pouco porque sua saúde foi favorecida e os sintomas de sua doença foram minimizados. Agora ele vive muito calmo e feliz com as pessoas que ele mais ama.


É uma pena que muitas pessoas esperem um diagnóstico desses para mudar de vida e repensar seus hábitos. 

Informações: Diario Digital e Viral Nova via Porque no se me ocurrio 
Imagens: Reprodução The Rockhouse Retreat 
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário