Páginas

quinta-feira, 22 de março de 2018

Lembra da americana que sonhava ser a mais obesa do mundo? Uma reviravolta mudou completamente sua história.


A texana Monica Riley surpreendeu a todos há alguns anos após revelar e colocar em pratica um sonho no mínimo bizarro. Ela nunca desejou uma cinturinha fina e bumbum arrebitado como a maioria das mulheres. Aos 32 anos, ela só desejava uma coisa: engordar ao ponto de não conseguir mais se movimentar sozinha. E o pior, com a ajuda e incentivo do próprio namorado.







Ela chegou a consumir 10 mil calorias por dia e pesar 445 kg, mas ainda faltavam 10 kg para atingir o seu objetivo final.


No entanto, uma reviravolta mudou completamente a história do casal.


O que ela não contou a ninguém é que ela tinha outro sonho além de ser a mulher mais gorda do mundo. Mônica queria tornar-se mãe. Obviamente, essas duas ambições não poderiam caminhar juntas e ela teria que escolher entre elas.
Monica, que está grávida de 15 semanas, agora enfrenta uma batalha desesperada para perder seu peso excessivo, e já perdeu mais de 88 kg em apenas 10 semanas. Ela já tinha experimentado a tragédia de dois abortos, e agora prometeu rever seu estilo de vida chocante para se tornar apta e saudável para seu bebê.
“Em um ponto da minha vida, eu queria ser a maior mulher do mundo. Eu queria estar na cama e imóvel e ser alimentada cada vez mais. Mas agora que estou grávida, tem sido um alerta. Eu quero ser capaz de ser ativa com meu filho. Eu quero ser capaz de levantar e estar envolvida com ele ou ela em todos os sentidos. Você não pode fazer isso se estiver imóvel”, disse Monica.


Quando Monica ainda pesava 318 kg, ela descobriu que estava grávida pela primeira vez.
Ela e seu namorado Sid ficaram muito felizes, embora Monica continuasse com sua dieta perigosa. Na 12º semanas, um exame revelou que o feto estava mal formado e não sobreviveria, levando Monica a tomar medicação para abortar. Meses depois, ela descobriu que estava grávida novamente, mas sofreu outro aborto, dessa vez espontâneo, na 14º semana.
“Eu estava deprimida e chorando muito”, disse ela.
Depois de se culpar pelos abortos, Monica e Sid colocaram os planos da família em espera.
Mas o casal não estava usando proteção, e Monica engravidou novamente em março.
"Eu acho que meu peso afetou as gestações anteriores", disse ela.
“Não há evidências médicas claras, mas acho que, se eu fosse mais saudável, os bebês teriam sido mais fortes. Eu sei que meus hábitos alimentares eram terríveis. Quando eu descobri que estava grávida desta vez, fiquei muito nervosa e assustada porque sabia que tinha que mudar muita coisa. Eu não quero perder mais bebês e não percebi como era perigoso estar grávida do tamanho que estava antes. Eu quero ser saudável o suficiente para o bebê continuar crescendo. ”


Com ajuda e incentivo do noivo Sid, Monica começou a caminhar todos os dias e reformulou sua dieta mortal. Ela costumava comer constantemente todos os dias, mas agora reduziu seu consumo e começou a comer saladas saudáveis ​​para reduzir sua ingestão diária de calorias de 10.000 para 2.000.


Mas Monica diz que não tem sido fácil fazer essa mudança tão radical em seu estilo de vida.
"A dieta tem sido muito difícil", disse ela.
“Tenho chorado muito. Comida para mim era um vício muito parecido com álcool ou drogas.”, relatou.



Ela também ficou preocupada que seu noivo e "alimentador", Sid, deixasse de se sentir atraído por seu corpo se ela emagrecesse.
Mas Sid diz que vai amá-la não importa o que aconteça, acrescentando: “Eu não sou apenas atraído pelo corpo dela. Eu sou atraído por ela como uma pessoa completa. Mesmo se ela ficar pequena, eu ainda serei apaixonado por ela”. 


E Monica também revelou não ter um objetivo de peso em mente, pois está mais preocupada com a saúde do que com o tamanho. Quem diria hein?
“A gravidez está progredindo bem e o bebê tem um batimento cardíaco forte”, contou a futura mãe.
E sobre o futuro do bebê o casal diz:
“Vamos encorajá-lo a comer bem quando crescer. Não quero que meu filho pense que ser gordo é errado, só quero que ele seja ativo, saudável e feliz”.
Sid acrescentou: “Nós só queremos que o bebê seja saudável para que possamos finalmente começar nossa vida juntos como uma família e talvez até ter mais filhos no futuro. Eu só quero dar a ele a melhor vida que puder, e isso é tudo o que importa.", finalizou.


Impressionante o rumo que levou essa história, não acham?

Informações: The Sun via News.au
Imagens: Getty Images
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário