Páginas

quarta-feira, 7 de março de 2018

Este cão vivia em uma pequena jaula e seu corpo não podia crescer Agora, ele vive rodeado de amor


Os animais de estimação não podem cuidar de si mesmos. Por essa razão, se alguém assumir a responsabilidade de proteger e cuidar de um animal, ele deve ser capaz de fazê-lo. Aparentemente, os donos deste cachorro nunca foram interessados ​​em seus cuidados e o manteve preso em uma gaiola em pleno desenvolvimento. 



Quando pequeno, o tamanho da jaula era até que aceitável, mas ele obviamente foi crescendo e as grades não permitiam seu desenvolveu de maneira correta e natural. O animal, um pit bull, foi apelidado de ‘gárgula’, por conta de sua deformidade física. 


Mas seu destino mudou graças a alguns trabalhadores que o viram e decidiram denunciar o abuso, então eles chamaram voluntários do "Second Chance Rescue" em Nova York para ver se eles poderiam resgatá-lo. 


“Quem vê, pensa logo que ele foi obrigado a crescer e viver em uma caixa pequena. Bem, adivinhem: é isso mesmo que aconteceu! De onde vêm esses monstros?”, escreveu o grupo de resgate em sua página no Facebook, onde anunciaram que o cãozinho seria chamado de “Landis”. 


Enfim, o pobrezinho estava em boas mãos. Ele foi examinado por um especialista em ortopedia, que disse que o cão sentia muita dor, mas graças à terapia que estavam fazendo, ele já havia mostrado sinais de melhoria. 


Depois de um mês de muito amor, preocupação e cuidado, Landis estava pronto para encontrar uma casa. E isso aconteceu mais rápido do que todos pensavam. 


Uma família de Massachusetts decidiu adotá-lo, e uma vez que moram a poucos quarteirões da praia, ele gosta de correr na areia com seus irmãos de quatro patas (É um ótimo exercício para fortalecer seus ossos!). 


Ele também faz sessões de hidromassagem! 


Embora Landis ainda tenha um logo caminho a ser percorrido rumo a sua completa recuperação, não resta dúvidas de que ele esta cercado de muito amor.



Informações: Upsocl 
Imagens: Facebook @Project Landi 
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário