Páginas

quarta-feira, 14 de março de 2018

Ela nasceu gestando gêmeos. Quando os médicos viram a sua condição, eles mal sabiam como reagir.


Quanto mais nos aprofundamos, mais histórias surpreendentes aparecem. Desta vez, uma menina chinesa de apenas três semanas de idade teve dois fetos retirados de seu abdômen por meio de uma cirurgia em Hong Kong. O caso não só chocou nós espectadores, como os próprios médicos e principalmente os familiares da garotinha. 




A equipe médica a princípio pensou que o bebê tinha um tumor, e constatou com surpresa, por exames de imagem, que a massa no abdômen da menina continha duas estruturas fetais, com pernas, braços, coluna vertebral, costelas e intestinos. Ambos também estavam cobertos de pele. 


Os médicos ficaram preocupados com a condição e tiveram muito medo de cometer erros no tratamento. “É impossível a menina ter concebido a gravidez por conta própria, a fertilização dos fetos dos gêmeos pertence a seus pais, mas os fetos foram para o lugar errado. Era quase impossível de detectar isso durante o pré-natal, pois o embrião no interior do bebê era muito pequeno“, disse o Dr. Yu Kai-Man, especialista em obstetrícia e ginecologia. 
O fenômeno responsável pelo bebê ter nascido com uma estrutura semelhante a um feto em seu organismo é conhecido como "fetus in fetu", ou "gêmeo parasita". E é bem raro, acontece uma vez a cada 500 mil nascimentos. Menos de 200 casos já foram relatados até hoje. O caso da menina chinesa ocorreu em 2010. 
Existem duas teorias que explicam a formação do gêmeo parasita. Uma é a de que ele começa a se desenvolver como um feto normal, mas acaba encapsulado dentro de seu irmão. A outra defende que o fenômeno é resultado de um tipo avançado de tumor, chamado teratoma. 
A garota, felizmente, teve uma boa recuperação e foi para casa oito dias após a cirurgia. 

Informações: Mirror e G1 
Imagens: HKMJ/Divulgação e Reprodução Mirror
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário