Páginas

terça-feira, 13 de março de 2018

Casal contrata “barriga de aluguel” e quando veem o ultrassom da barriga dela mal podem acreditar.


A gravidez é um sonho para muitos casais. Mas nem todos conseguem realizá-lo da forma tradicional. Às vezes por alguma questão genética. A infertilidade também pode ser a sequela de uma condição sofrida por algum dos componentes do casal. No entanto, com o avanço da ciência e tecnologia, já existem diversas maneiras que possibilitam essas pessoas se tornarem pais e mães. 



Uma dessas maneiras não tradicionais é conhecida como barriga de aluguel. Nesta situação, um casal gera o embrião através de técnicas de fertilização in vitro (FIV) e, este embrião, é transferido para o útero de outra mulher, que "carrega" o bebê por nove meses e dá a luz. Após o nascimento, o bebê é entregue aos pais. Embora a barriga de aluguel não seja permitida no Brasil, foi a opção escolhida por Joanna e Steve, um casal de Los Angelas, nos EUA. 
Então, eles conheceram Shaniece Sturdy, que já era mãe, e decidiu que estava preparada para alugar seu ventre, na esperança de que isso mudasse sua vida e a de outras pessoas.
Porém, Shaniece se deparou com alguns empecilhos em seu caminho. Ela percebeu que os requisitos para o processo de seleção de barriga de aluguel eram muitos exigentes e, ficou com medo de ser recusada. Além disso, considerou que as pessoas a julgariam por isso e que sua família certamente não aprovaria e, portanto, decidiu fazer tudo em segredo. 
Por isso, quando encontrou o casal que sonhava ter um filho, ela avisou que só seria a barriga de aluguel deles se passasse por todo o processo sozinha. Eles toparam, só que ela acabou conhecendo-os melhor, e logo foi convencida de que eles eram os únicos que podiam ajudar. 
A jovem logo se mudou para Los Angeles onde ela passaria pelo processo de inseminação artificial. Uma vez que a gravidez foi confirmada, a grande dúvida do trio era sobre o sexo do bebê. Mas, algo os intrigava: a barriga de Shaniece estava crescendo mais do que o normal. 


Foi quando o médico fez o primeiro ultrassom, que a causa daquele crescimento anormal foi justificada. Ela estava carregando gêmeos. A notícia surpreendeu a todos, mas as novidades não acabavam por aí. 


Após meses, foi feito um novo ultrassom. E adivinhem!? Os gêmeos, na realidade, eram trigêmeos e, ainda por cima, idênticos! 


Quando vieram ao mundo, as crianças foram consideradas os primeiros trigêmeos onde dois eram monozigóticos nascidos gerados no útero de uma barriga de aluguel tão jovem. 


Shaniece foi chamada para ser a madrinha de Daisy, Willow e Harrison. Além disso, ela mantém um relacionamento saudável com a família que ajudou a construir e visita seus afilhados regularmente. 



Ela contou que, apesar da pouca idade, se diz orgulhosa por poder ter carregado o filho de alguém em seu útero. Mesmo sendo uma grande responsabilidade, ela garante que, após o nascimento de seu próprio filho, essa foi a melhor experiência que teve na vida. 



Informações: Daily Mail
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário