Páginas

quinta-feira, 15 de março de 2018

A barriga dela não parava de crescer mesmo fazendo regime. Ao operá-la, os médicos mal podiam acreditar no que viram.


Quem tem problemas com o peso sabe que emagrecer não é uma tarefa fácil. Para perder alguns kg, é necessário abrir mão de muitos hábitos antigos e a reeducação alimentar é fundamental. Mas quando a união entre a prática de exercícios e uma alimentação saudável e equilibrada não surte efeito, algo pode estar errado. 



Uma paciente mexicana de 24 anos, que teve a identidade preservada, notou que estava ganhando peso mesmo estando em uma dieta. Preocupada, a jovem decidiu procurar um médico. 


Então, exames revelaram que ela tinha um cisto ovariano que cresceu rapidamente em um período de apenas 11 meses. Os médicos temiam que a cirurgia pudesse colocá-la em risco de insuficiência cardíaca, uma vez que o tumor de mais de 31 quilos estava esmagando seus órgãos. 
Até o momento da operação, ela não conseguia mais andar, respirar e comer normalmente. 


Segundo informações do Daily Mail, a operação pioneira foi realizada pelo Dr. Erik Hanson Viana, do Hospital Geral do México. “Este é o maior cisto que já operei”, disse ele. “Era tão grande que ocupava 95% do abdômen da paciente. É muito rara uma operação como essa. O cisto media meio metro de diâmetro e uma circunferência de 157 cm”. 




Os médicos acreditavam que o tumor, que pode ser considerado um dos maiores do mundo, era composto por um líquido tóxico ao organismo da paciente. 
O Dr. Erik Hanson Viana disse: “De todas as pesquisas que eu fiz, este pode ser considerado o maior cisto de ovário já removido por inteiro”, continuou. “A paciente estava com excesso de peso, então, depois de começar uma dieta, ela notou que seu rosto, braços e pernas estavam ficando mais finos, mas seu estômago estava ficando cada vez maior”. 
“Quando ela me procurou, podia apenas dar dois passos antes de ficar cansada e sentia-se como se estivesse lutando para respirar porque o cisto esmagava seus pulmões”, explicou. “Se não a tivéssemos operado, teria chegado ao ponto em que não teria sido capaz de andar e estaria gravemente desnutrida”, contou o médico. 
O cirurgião ainda revelou que não sabe dizer por quanto tempo a mulher viveria com o crescimento do cisto, mas garante e a qualidade de vida dela seria muito baixa.
Seis meses após o procedimento, a paciente conseguiu se recuperar, voltando a se movimentar e viver uma vida normal. 

Informações: Daily Mail 
Imagens: Reprodução Daily Mail
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário