Páginas

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Há 16 anos, nasceram às meninas mais raras do mundo. Hoje elas estão irreconhecíveis.


A preocupação, ansiedade são fatores inclusos em uma gravidez, seja ela a primeira, segunda, terceira e etc. Isso, porque, emocionalmente falando, a gestação costuma ser uma verdadeira montanha-russa de sentimentos, pois você está se preparando para uma das maiores mudanças que irá experimentar em toda a vida. 





Grande parte dos pais se preocupa que seu filho não nasça completamente saudável, podendo ter alguma condição que o restringirá na vida, ou até mesmo que os futuros pais não possam lidar com os cuidados específicos que seus bebês exijam. Em casos extremos e não raros, a gravidez pode apresentar riscos de vida tanto para o filho como para a mãe. 
Se você pensar em gêmeos siameses, que são unidos em alguma região do corpo, essa, então, é uma das gravidezes mais arriscadas e complicadas que se pode ter. Um exemplo disso é o caso das irmãs Macy, Mackenzie e Madeline. Sua história é um de dois únicos casos famosos do mundo. 


Quando as crianças nasceram, a mãe delas não só tinha dado a luz a trigêmeas, como duas deles estavam unidas uma a outra. Essa, por si só, já considerada uma condição rara que afeta uma em 200 mil crianças nascidas com vida. 


Infelizmente, após o choque do nascimento, a mãe biológica das trigêmeas decidiu que não poderia cuidar das três meninas. No entanto, o casal Darla e Jeff Garrison, de Iowa nos EUA, decidiu adotá-las. Eles já tinham três filhos biológicos, mas não pensaram duas vezes na decisão de aumentar a família, dada a urgência que as garotas tinham em encontrar um lar amoroso. 


As siamesas Macey e Mackenzie estavam com muita dor e apenas algumas semanas depois os cirurgiões que fizeram o parto começaram as meticulosas operações para separar as meninas. Mackenzie foi para casa depois de seis semanas, e Macey seguiu um mês depois. Darla e Jeff começaram o processo de adoção. 


“Nós nos apaixonamos por elas. Nossos garotos ficaram tão felizes de terem três irmãs”, Darla contou a Closer. 


As pequenas Macey e Mackenzie recuperaram-se bem. Como você pode ver nas imagens, cada uma tem uma perna depois de terem nascido com uma terceira pena compartilhada, sem uso. 


Dois anos após a cirurgia de separação, todos os papéis ficaram prontos e Darla e Jeff finalmente adotaram as três garotas oficialmente. Hoje todas elas frequentam a mesma escola, onde têm muitos amigos, e gostam de esportes e artes em particular. 


Elas também têm um cavalo e fazem fisioterapia regularmente para ajuda-las a andar com próteses de perna e por conta própria. As meninas vivem uma vida saudável e feliz. Elas têm uma infância “normal”, apesar de suas limitações físicas. 



Graças a todo o apoio necessário para que se sintam confortáveis e seguras, hoje, crescidas, são três meninas lindas de 16 anos. 



“Não fazíamos ideia do que esperar – mas elas só precisavam de alguém que as amasse. Pegamos Madeline quando ela tinha quatro dias de vida e Macey e Mackenzie vieram para nós quatro semanas depois”, disse a mãe adotiva Darla a Closer. 


Que garotas de sorte! Graças à família maravilhosa e cheia de amor que encontraram, suas vidas tomaram um rumo muito diferente, e ainda por cima, elas têm três irmãos mais velhos que as amam. 


Informações: Newsner
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário