Páginas

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Estudante salva menino do fogo e desaparece. 45 anos depois, o mistério é resolvido.


O destino é mesmo implacável. Às vezes você simplesmente está na hora certa, no lugar certo e sem saber explicar, sabe exatamente o que precisa fazer. Em 2 de julho de 1971, um estudante de 24 anos do Fresno City College foi para casa depois de uma tarde na pista de corrida. A caminho de casa, ele notou um estranho “brilho” e começou a se dirigir ao que ele presumiu ser um incêndio. 




Ele chegou a uma casa que estava completamente tomada pelo fogo. Três jovens garotas de pijamas estavam do lado de fora. Havia também uma mãe aterrorizada gritando que uma de suas crianças ainda estava dentro da casa. A polícia já tinha chegado, mas os bombeiros ainda não estavam lá. 


A mãe desesperada, Carol Magee, contou à polícia e ao estranho em qual quarto o bebê estava – não havia tempo a perder. Uma vez que as únicas pessoas no lugar eram a polícia e o jovem estudante, a polícia quebrou uma janela e içou o universitário para um quarto cheio de fumaça, onde a criança devia estar. 


O estranho encontrou o bebê e o pegou. Felizmente, a criança estava totalmente ilesa. O jovem herói deixou a janela e depois saiu da casa em chamas. Tudo correu bem, exceto por ele ter se cortado nos fragmentos de vidro da janela quebrada. 
Momentos depois, quando a mãe agradecida abraçou seu filho, o estudante misterioso desapareceu. Naquele momento, o teto desabou e o quarto da criança foi engolido por chamas. O jovem herói retornou à sua vida e nunca mais ouviu nada sobre o bebê que ele havia salvado. 


O jornal local escreveu uma reportagem sobre o terrível incêndio, mas eles não tinham nenhuma informação sobre o misterioso bom samaritano que salvou o bebê naquela noite. Um amigo do estranho entrou em contato com o jornal para informá-los de que o sobrenome do estudante misterioso era Freund. 
No entanto, a família não conseguiu encontrar o herói misterioso, e eles nunca tiveram a oportunidade de dizer “obrigado”. 
Mas, quando Cyndee Farr-Gutiérrez, uma das menininhas que estavam de camisola naquela noite, escreveu sobre o incêndio da infância para uma tarefa de classe, algo aconteceu. Ela escreveu uma carta de agradecimento e enviou para o jornal local, The Fresno Bee, e pediu que publicassem a carta como um anúncio. 
Se o aluno chamado “Freund” ainda vivia na área, quem sabe ele não veria? 
Jornalistas da Fresno Bee decidiram ajudar Cyndee a encontrar o homem que salvou a vida de seu irmãozinho em 1971. E eles finalmente conseguiram. No final de 2017, ela e suas irmãs visitaram Rick Freund pela primeira vez e, finalmente, puderam dar-lhes os seus sinceros agradecimentos. 
Foi durante esta reunião que Freund foi informado de que a criança que ele havia salvado era um menino, Robert “Bobby” Magee. Bobby tem 47 anos de idade e vive ao lado de Fresno. Ele trabalha como carpinteiro e orgulha-se de ser um artesão. 

Bobby também possui uma plantação de abóboras em Fresno, onde trabalha durante o outono. Ele ainda administra uma organização local de doadores de sangue. 

“Nós colocamos muito sangue, suor e lágrimas no nosso trabalho, e acho que é disso que eu estou mais orgulhoso, de que todos os anos nós salvamos vidas”, diz Bobby, cujo projeto coletou 18 mil doações de sangue nos últimos 18 anos. 
Pouco depois desse primeiro encontro junto com suas gratas irmãs, Bobby e sua família se encontraram com Rick Freund em um restaurante. Bobby descobriu que Freund serviu no exército como policial militar e é dono de uma empresa de transporte por caminhão. 


Infelizmente, Carol, a mãe, nunca teve a chance de agradecer Freund pessoalmente; ela morreu em 2003. No entanto, ela escreveu sua própria carta de agradecimento – a partir da perspectiva de Bobby. Bobby só soube da carta quando era mais velho. 

Aqui está o que Carol escreveu: 

"Você salvou minha vida e desapareceu antes que meus pais pudessem expressar sua gratidão; alguns heróis podem não querer receber agradecimentos. 
Um agradecimento não é suficiente por ter salvado a minha vida. Mas eu sei que mamãe e papai farão o seu melhor para me ensinar o que é certo e errado e seguir o seu exemplo. 
Você viu o que precisava ser feito e você fez. Jamais iremos te esquecer. 

– Bobby"

É óbvio que a vida de Bobby foi afetada naquela noite. Agora ele trabalha para salvar vidas, embora de forma mais organizada. 
Para Rick Freund, essa não seria a primeira vez que ele era um herói no lugar certo na hora certa. De fato, ele salvou outro estranho usando a manobra de Heimlich e também salvou a vida de um homem usando RCP, em um funeral. O mesmo aconteceu alguns anos depois, quando Rick resgatou um homem em parada cardíaca enquanto eles estavam caçando. 
Rick recebeu vários prêmios por heroísmo e esta máxima resume sua história de vida muito bem: “Você vê algo errado e respira profundamente quando vê que ninguém mais ajudará. Então você vai e faz.” 


Toda vez que acabamos em uma situação em que a nossa ajuda é necessária, somos confrontados com uma escolha – devemos intervir ou simplesmente ficar parados assistindo? 

Informações: Newsner 
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário