Páginas

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Mulher recebe bilhete assustador e finge ataque no Metrô após assistir série de TV


Sempre que vemos um personagem passando por situações de perigo— de forma bem exagerada— na televisão, normalmente temos uma resposta simples: é só ficção. Isso não acontece na vida real.







Mas, não seja tão precipitado neste julgamento. Às vezes essas histórias extravagantes podem ser úteis, e podemos afirmar, que para a americana Julie Dragland, de 32 anos realmente foram. Consumidora assídua de séries policiais, ela estava em um transporte público quando um truque de TV que ela pensou ser pura ficção acabou por salvar sua vida.


Tudo começou quando Julie estava sentada num trem em Oakland, na Califórnia (EUA), e alguém colocou um bilhete assustador em seu colo. O texto no pedaço de papel anunciava um assalto e fazia ameaças: “Há duas armas apontadas diretamente para você. Se quiser viver, entregue agora seu celular e carteira. Não se vire nem faça movimentos bruscos até chegar à próxima estação, Civic Center".


Sem saber o que fazer, Julie olhou ao redor procurando por suspeitos. Com medo, ela arriscou: jogou-se no chão, debatendo-se como se estivesse convulsionando. Outros passageiros foram socorrê-la, apavorados. Julie se manteve tremendo no piso do vagão, como contou à emissora americana de TV ABC News, até a porta do metrô se abrir na estação. Julie, que trabalha como relações públicas, disse ter tremido de verdade quando a porta do vagão se abriu. Passageiros continuavam ao redor dela, tentando acudi-la. Achavam que ela estava tendo mesmo uma convulsão.


"Perguntavam-me se eu estava passando bem e chegaram a chamar funcionários do metrô para me ajudar", relatou.


Ela mostrou o bilhete aos passageiros e, ainda assustada, contou que estava simulando algo para evitar o assalto. Os passageiros, transtornados, não questionaram o que ela fez. Julie disse que iria procurar os agentes de segurança do metrô. A polícia foi chamada e a interrogou.


"Antes de fingir a crise, suspeitei de uma mulher de óculos escuros com uma mala na mão. Ela chegou a olhar para mim depois que li o bilhete e pareceu tentar fazer o contato comigo. Achei que fosse a pessoa que jogara o bilhete no meu colo. Não consegui ver outros suspeitos armados no metrô. Na dúvida, simulei a convulsão", contou ela aos policiais. 


Em entrevista à ABC, ela admitiu que fingiu a convulsão para escapara do assalto, pois lembrou de uma cena semelhante que assistiu no seriado Law & Order.


"Sei que é perigoso reagir a um assalto e que não deveria ter feito isso, mas foi o que veio à minha cabeça na hora do nervosismo", admitiu.
A polícia confirmou que uma pessoa colocou o tal bilhete no colo da jovem ao consultar as imagens das câmeras de segurança. A suspeita, de acordo com os oficiais, é a mulher carregando a mala. 


Ela aparece em outro vagão no mesmo dia do bilhete, numa estação próxima. A descrição bate com o que Julie passou aos policiais.


"Não há indicação se a suspeita estava ou não armada", comunicou a polícia.
Julie disse que não prestou queixa formalmente: "Não fui roubada, afinal. E não tenho absoluta certeza de quem colocou o bilhete no meu colo ".
"Não sei nem se essa pessoa estava armada de verdade", acrescentou.
“Mas pensei também: alguém iria mesmo atirar em mim por causa de uma carteira e um celular?”.
Após o incidente, os policiais ponderaram que esse era um risco que ela correu e sugeriram que, se acontecesse novamente, Julie não deveria reagir de "modo algum".
E ela admite: “Gosto de ver seriados policiais. Mas lógico que não posso arriscar minha vida tentando imitar o que vejo na TV”. Ela considera a simulação da crise algo ridículo e irresponsável. Julie reconhece que exagerou na dose e que a decisão extrema poderia ter custado sua vida.


A polícia informou que vai continuar investigando o caso.

Informações: Boredom Therapy, Daily Mail, Hora 7
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário