Páginas

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Mulher é agredida por marido que conheceu em site por assistir programa de TV


Não é novidade para ninguém que a violência contra as mulheres é um problema real e cada vez mais as vítimas denunciam seus agressores. Basta abrir o Jornal e você se deparará com inúmeros casos. Não há motivo que justifique um ato tão hediondo, mas, quando o pretexto trata-se de algo tão ínfimo, a revolta geral é garantida.





A britânica Suzanne Hill conheceu seu marido David Jennison através de um site de encontros, em 2015. Nos primeiros anos, eles se deram superbem e desfrutavam da companhia agradável um do outro. No entanto, em junho de 2017, Jennison atacou sua esposa de forma súbita e brutal. Segundo o Manchester Crown Court, o motivo seria a escolha de um programa de TV.


A vítima revelou que foi atacada depois que o marido voltou para casa do trabalho.
Ela disse: "Fiquei sentada com meu chá, era uma noite quente e as janelas estavam abertas. Tudo parecia bem. Ele era um motorista de caminhão, então ele estava acordado desde as 4 da manhã naquele dia. Eu estava assistindo Britain's Got Talent (um programa de calouros muito famoso no Reino Unido) e ele entrou e disse:" Eu não estou assistindo essa porcaria! “. Eu disse "qual o problema?"”.


Suzanne conta que ele levou o cachorro do casal para uma caminhada e então pensou que estava tudo bem.
"Ele estava obviamente de bom humor e às 9 horas ele subiu as escadas e murmurou algo que eu não ouvi. Eu pensei que eu poderia ir para a cama também. Já deitada na cama, eu estava rindo um pouco porque nós estávamos de costas um para o outro. Eu disse algo e ele simplesmente se virou e me de um soco".
Abalada pelo gesto, a Sra. Hill preparou uma mala para o marido e atirou-a para o andar debaixo.
"Ele lentamente se descobriu com o lençol da cama e pensei que ele iria me abraçar, mas ele me deu a maior cabeçada".
"Então, rapidamente, ele começou a me estrangular", acrescentou Hall.
“E estrangulado. E estrangulado. Ele não falou nada, não houve gritos ou discussões. Ele simplesmente disse: "Eu vou matar você e eu vou me matar".


Quando ele enfim parou, ela desceu as escadas e Jennison a seguiu até a porta da frente. Quando ela alcançou o manípulo, ele agarrou seu braço e puxou-a de volta.
Ela disse: "Enquanto eu me virava para olhar para ele, senti o maior golpe. Ele rasgou meu lábio e me bateu e continuou me batendo mesmo inconsciente. 


A próxima coisa que eu ouvi foi uma voz dizendo" mãe ". Era meu filho - eu estava inconsciente há meia-hora”.


Quando a Sra. Hill foi descoberta por seu filho, Wade, seus braços haviam sido amarrados com o cabo elétrico do micro-ondas e ela havia sido colocada dentro de um saco de dormir. Antes de ir embora, Jennison ligou para Wade e disse-lhe para ir à casa, alegando que sua mãe tomara alguns comprimidos e pegou uma faca, e que ele a amarrou por sua própria segurança.


A corte ouviu que quando Wade chegou, ele pensou que sua mãe estava morta. Ele percebeu que estava viva quando ele a ouviu sussurrar "por favor, não me acerte de novo", com a Sra. Hill incapaz de reconhecer que era seu filho na frente dela.


Ela foi levada para o hospital. Jennison, rapidamente se tornou o assunto de um apelo procurado pela polícia e foi preso dois dias depois e recusou-se a responder a perguntas. Suzanne diz não ter ideia de como sobreviveu àquela noite e revelou ter flashbacks e ir a um terapeuta por conta do transtorno de estresse pós-traumático.


A Sra. Hill, que trabalha como cuidadora, diz que o ataque se desenrolou inesperadamente, mas agora ela admite que deveria ter agido por instinto e examinar o passado do marido. Ela também acredita que os sites de namoro têm a responsabilidade de realizar verificações de antecedentes sobre os membros para evitar ataques violentos.
"Eu acho que eles devem olhar para os antecedentes das pessoas antes de irem para esses sites", disse Suzanne, que só soube do extenso passado criminoso do companheiro em sua audiência de sentença.


Ela disse: "Eu o conheci em um site de encontros e foi isso. Nos demos muito bem. Ele me tratou como uma rainha. Ele cozinhava, foi ótimo e ele cuidou de mim. Ele nunca tinha me encostado um dedo e nunca teria ficado com ele se ele o tivesse feito”.
Após o ataque, Suzanne foi contatada por uma mulher que conhecia Jennison. Ela disse a ela que Jennison tinha uma história de violência contra as mulheres. O promotor Brian Berlyne revelou à audiência de condenação de Jennison que ele tinha 13 condenações anteriores. O agressor só será libertado da prisão quando for considerado seguro. Ele servirá três anos e três meses de prisão e um período prolongado de licença de três anos, o que significa que mesmo após a liberação, corre o risco de ser retirado para a prisão até 2024.


Em uma declaração de impacto da vítima lida ao tribunal pelos promotores, a Sra. Hill disse: "Nunca superarei o choque do que meu marido fez comigo naquela noite”.

Informações: Daily Mail
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário