Páginas

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Mãe dá à luz ao segundo bebê sereia da vida real na Índia


Uma mãe surpreendeu os médicos quando deu à luz ao segundo "bebê sereia" da Índia, mas que, infelizmente, perdeu a vida algumas horas depois de vir ao mundo.

O bebê não tinha nome e cujo sexo não era claro devido à sua pelve subdesenvolvida e às pernas fundidas, sofria de uma condição rara conhecida como sirenomelia ou "síndrome da sereia".

Muskura Bibi, de 23 anos, deu à luz naturalmente em uma manhã no hospital Chittaranjan Deva Sadan administrado pelo governo em Kolkata, no leste da Índia. Como ela não conseguiu pagar por nenhum ultrassom durante a gravidez, ela só descobriu a condição de seu bebê quando ela o viu pela primeira vez após o parto.


O Dr. Sudip Saha, especialista em crianças do hospital, disse: “Os pais são trabalhadores, mas não buscaram a medicação adequada durante a gravidez por falta de dinheiro”.
“Nunca tinha visto um bebê desse tipo antes. É o primeiro caso de Sirenomelia no estado e o segundo no país”, afirmou. “O bebê teve formação normal na parte superior do corpo, mas abaixo da cintura suas pernas foram fundidas, não se desenvolvendo completamente. A falta de nutrição adequada e a circulação sanguínea imprópria para o bebê podem criar esse tipo de anormalidade“, acrescentou.


Em 2016, uma mulher de Uttar Pradeash, no norte da Índia, deu à luz ao primeiro "bebê sereia" conhecido do país, que só sobreviveu por 10 minutos.
A Sirenomelia, também conhecida como síndrome da sereia, é uma doença extremamente rara que causa uma fusão parcial ou completa das pernas. Ela afeta um entre 60.000 e 100.000 nascimentos, que desenvolvem complicações gastrointestinais e rins subdesenvolvidos ou ausentes. Sua causa é desconhecida, mas, a maioria dos pacientes morre como recém-nascidos devido a complicações pulmonares e defeitos cardíacos. Não há relatos de sobreviventes com esta condição.

Informações: Daily Mail
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário