Páginas

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Ela foi torturada até a morte pelo pai e pela avó. E a família ainda recebeu US$48 milhões por isso. Entenda!


A pequena Gizzell Ford foi encontrada estrangulada, espancada e torturada - com feridas infestadas de larvas na cabeça - em julho de 2013 no apartamento onde morava com sua avó Helen Ford e o pai Andre Ford.







Segundo o que foi divulgado pelos promotores do caso, a menina relatou todo abuso sofrido em um diário. Gizzell detalhou a forma como apanhava da avó, como era acorrentada a uma cama e sendo forçada a ficar agachada em uma única posição por horas. “Espero que eu não faça nada de mal hoje porque realmente quero apenas ficar sentada, assistir TV, conversar e brincar com todos”. “Eu vou ser boazinha o dia todo“. Porém, mais tarde ela adicionou uma nota afirmando que as coisas não haviam saído como planejado dizendo: “Eu falhei”.

Gizzell Ford
O último e doloroso registro da garota no diário ainda dizia: “Eu odeio essa vida, porque agora estou com grandes problemas”. Seu corpo foi encontrado no dia 12 de julho de 2013 no lixo do apartamento de sua família em Chicago, ele estava coberto de contusões, lacerações e arranhões, de acordo com a polícia.

Helen Ford

Helen Ford foi declarada culpada pela morte da menina e condenada à prisão perpétua. O pai de Gizzell que foi acusado de gravar os abusos enquanto sua mãe, Helen os realizava, morreu na prisão de um ataque cardíaco enquanto aguardava julgamento, por isso não cumpriu sua pena. Esses vídeos foram apresentados como evidência do abuso durante o julgamento de Helen Ford pelos promotores que cuidavam do caso. As imagens mostravam a menina atormentada e seus gritos sendo abafados quando uma meia foi colocada em sua boca.

Andre Ford
“Este assassinato foi tortura”, disse a juíza do caso Evelyn Clay. “Aquela criança sofreu uma morte lenta e agonizante. Esse corpo pequeno parecia ter sido pulverizado da cabeça aos pés. Seu tratamento para com esta criança era cruel”.

Evelyn Clay
No entanto, também foi determinado pela juíza que um pediatra pague $ 48 milhões à família da garota em um processo de morte por negligência, isso porque, semanas antes de sua morte, Gizzell Ford foi examinada pelo Dr. Norell Rosado. Os familiares, que não participaram da tortura e posteriormente da morte da menina, afirmaram que ele não alertou as autoridades sobre sinais comuns de que a menina sofreu abuso, e ainda alegaram que a morte poderia ter sido evitada se o pediatra tivesse reportado que as causas dos ferimentos eram de violência doméstica.

Dr. Norell Rosado
Em defesa própria, o médico afirmou que não o fez porque não considerou que os ferimentos eram consistentes o suficiente para caracterizar abuso infantil. Já os advogados da família defendem que ele deveria ter questionado a criança sobre os ferimentos quando ela estivesse longe de seus abusadores.
O médico foi considerado culpado pelo júri do caso, sendo condenado a pagar 48 milhões de dólares à família de Gizzell Ford.

Informações: The Sun, WGN TV
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário