Páginas

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Lembra da modelo que ficou sem perna após usar absorvente interno? Ela fez outra revelação muito triste.


Uma modelo, de anos 29, da Califórnia, EUA, corre o risco de perder outra perna após ter contraído a síndrome do choque tóxico (SCT). Lauren Wasser precisou ter a perna direita amputada em 2012 após desenvolver a doença devido ao uso de absorvente interno.








A doença é rara, mas pode atingir ambos os sexos e é caracterizada pelo conjunto de sintomas causado pelas toxinas de bactérias Gram-positivas, em especial a Staphylococcus aureus. Essas toxinas desencadeiam uma série de reações graves que podem culminar em insuficiência renal aguda e morte. Nos primeiros casos identificados em mulheres, a condição foi causada devido ao acúmulo de sangue menstrual em absorventes internos por mais de um dia e fabricados através de fibras sintéticas e produtos químicos que ampliavam sua absorção, facilitando a replicação da bactéria causadora da síndrome. Felizmente, atualmente os fabricantes voltaram a utilizar fibras de algodão e cessaram com o acréscimo desses produtos químicos.





Embora as caixas desse tipo de absorventes alertem para não utilizá-lo por mais de oito horas, Wasser, então com 24 anos, garantiu ter feito a troca dos absorventes três vezes durante o dia e, à noite, começou a sentir-se mal.


O que começou com sintomas gripais progrediu para um ataque cardíaco que a fez ficar aproximadamente dez minutos sem batimentos, nesse momento ela foi diagnosticada com SCT. Segundo os médicos, seus órgãos estavam se contorcendo, o que levou, consequentemente, a uma gangrena em sua perna direita, que precisou ser amputada abaixo do joelho. Os dedos de seu pé esquerdo também precisaram ser amputados.


Segundo a própria modelo conta em um artigo autoral no site da revista InStyle, os médicos recomendaram na época que ela amputasse as duas pernas, mas ela optou por tentar salvar o membro esquerdo. No entanto, agora, 05 anos depois, ela revela que está destinada a perder a perna esquerda, enquanto pede a aprovação de uma nova legislação - o que exigirá que as empresas de higiene feminina divulguem os potenciais efeitos a longo prazo sobre a saúde de seus produtos.


"Estou com uma dor diariamente excruciante", escreveu ela.
"Eu tenho uma perna mecânica dourada da qual estou completamente orgulhosa, mas meu pé esquerdo tem uma úlcera aberta, sem calcanhar e sem dedos".


Ela acrescentou: "Em alguns meses, eu inevitavelmente vou ter a minha outra perna amputada. Não há nada que eu possa fazer sobre isso. Mas o que eu posso fazer é ajudar a garantir que isso não aconteça com os outros".


Lauren ainda explicou que seu corpo está produzindo muito cálcio (um jeito de seu cérebro fazer com que seus dedos do pé esquerdo “voltem a crescer”). Ela precisou de cirurgia para raspar o osso porque ficou muito insuportável para andar, além de não conseguir molhar o pé devido à úlcera aberta - algo difícil para a modelo nascida na Califórnia.
Agora, ela está defendendo um projeto de lei chamado Robin Danielson Act, nome dado após uma mulher morrer de SCT em 1998, que dirige os Institutos Nacionais de Saúde para realizar pesquisas sobre os potenciais riscos para a saúde dos produtos de higiene feminina.

Informações: Wikipédia, Daily mail, Mirror, Vix
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário