Páginas

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Filha planeja comer restos de sua mãe falecida na ceia de Natal para sentir-se mais perto dela


As pessoas em geral, lidam com a morte de formas bem diferentes, enquanto algumas vivem o luto por meses ou até anos, outras preferem fingir que nada aconteceu, por mais doloroso que seja. Porém, algumas delas podem agir de formas, digamos mais excêntricas, como é o caso dessa história que vou lhes contar.





Debra Parsons é uma mulher de 41 anos e mãe de dois. Ela perdeu sua mãe, Doreen Brown no início do ano, de forma repentina, por conta de uma obstrução das vias aéreas após sofrer uma infecção.


Mas, Debra que ainda está devastada com sua perda, planeja “comer sua mãe” na ceia de Natal deste ano - temperando a refeição com suas cinzas. Doreen Brown morreu em maio e sua filha vem comendo pequenas colheres de suas cinzas todos os dias para "ajudá-la a lidar com a perda".


Debra diz que com o Natal se aproximando, seu desejo de comer as cinzas se tornam mais fortes.
"É a única coisa que me ajudará no meu primeiro Natal sem minha mãe", disse Debra ao Mirror. "As pessoas podem pensar que estou louca ou que não é uma coisa muito respeitosa, mas não consigo evitar. Eu vejo isso como algo positivo - permitindo que ela fique perto de mim e também a envolva com a família nesse dia especial. Eu sinto como se ela pudesse viver por estar dentro de mim, porque se ela é parte de mim, ela pode respirar pelo meu corpo - minha respiração é sua respiração. Será o meu primeiro Natal sem ela e quero que ela esteja envolvida e essa é a única maneira que eu consegui fazê-lo".


Essa não foi a única tragédia sofrida por Debra, ela já havia perdido um filho durante o parto, há mais de 20 anos. Ela lutou por anos para lidar com seu sofrimento, mas quando sua amada mãe faleceu, ela piorou novamente.


Ela disse: "Minha mãe e eu tivemos um vínculo realmente forte e que nunca poderia ser quebrado, mesmo pela morte. Foi ela quem me ajudou por todos os altos e baixos da minha vida e, de repente, ela simplesmente não estava mais aqui”.


Debra rejeitou a tradição de espalhar as cinzas do ente querido em uma localização sentimental.


Ela disse: "Não era algo sobre o que pensava. Eu sempre achei que teria mais tempo para pensar sobre isso. Eu sabia que mamãe estava doente, mas não esperava que ela partisse tão cedo. Então, quando ela foi eu tive esse sentimento enorme de perda, mas também de arrependimento por todas as coisas que não foram ditas e todas as coisas que perderíamos no futuro. Eu decidi que queria fazer algo com suas cinzas que fariam a diferença em como lembraríamos dela. Eu não queria apenas espalhá-los por aí porque isso pareceria jogá-la fora".



E você, o que tema  dizer sobre esse caso inusitado?

Informações: Daily Mail
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário