Páginas

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Pai ouve gritos vindos do forno e ao abri-lo encontra sua filha de 14 meses de idade cozinhando no interior


Histórias de pais que lutam para salvar a vida de seus filhos são abundantes. Uma mãe que lutou contra os médicos para dar uma chance ao seu bebê extremamente prematuro. Um pai que pulou em um lago, apesar de não saber nadar, na tentativa de salvar seu filho que se afogava. Essas são apenas algumas histórias que mostram a força e o amor entre os pais e seus filhos.






Mas, nem sempre esses vínculos especiais e de amor existem. E, infelizmente, quando este é o caso, as crianças acabam sofrendo muito.

Nunca é bom ouvir histórias sobre crianças que foram abusadas, especialmente quando são os próprios pais que as prejudicaram.
Felizmente, essa menina sobreviveu. Mas suas cicatrizes nunca se curarão completamente.


Foi em 2002 que Melissa Wright colocou a filha mais nova no forno, acendeu a chama e fechou a porta. Ashley tinha apenas 14 meses de idade.
Felizmente, o pai de Ashley, Robert, ouviu a filha chorar e foi capaz de salvá-la, mas ela já havia sofrido queimaduras graves. Ela passou por 28 operações após o evento traumático, e as cicatrizes em seus braços e testa são claramente visíveis atualmente.


Melissa, que teve problemas de saúde mental, tomou medicação contra a depressão e sofreu os efeitos colaterais, foi condenada a 25 anos de prisão por tentativa de homicídio depois de confessar seu crime. Ela primeiro afirmou que foi um acidente, mas isso foi facilmente refutado.
Recentemente, Ashley descobriu que sua mãe pediu liberdade condicional. Ela ficou em choque, não haveria motivos que a fizesse querer que a mãe fosse libertada.
Porém, alguém muito próximo não concorda com essa opinião.
A irmã de Ashley, que tinha oito anos quando ocorreu o terrível incidente. Ela viu aquilo tudo acontecer. Ela visitou a mãe regularmente e acredita que ela mudou. Courtney tem seus próprios filhos que tem a mesma idade que Ashley tinha quando sua mãe a prendeu no forno.


Na audiência, ambas as irmãs apresentaram suas opiniões ao juiz.
"Não a odeio, não a amo, não quero conhecê-la", disse Ashley em uma entrevista. Ela também está preocupada com a segurança de sua sobrinha e sobrinho, caso Melissa seja liberada. E, embora ela tenha perdoado sua mãe hoje, ela não confia nela.


Ashley tem agora 15 anos e está cursando o ensino médio. Ela foi criada por sua tia e tio, que ela chama de pais.
Felizmente, o juiz considerou as opiniões de Ashley, e sua mãe ficará presa por mais alguns anos antes de poder fazer um novo apelo à liberdade condicional.
Compartilhe esta história com seus amigos se você também pensa que devemos ter sentenças mais duras para esse tipo de crime!

Informações: Newsner e Liftable
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário