Páginas

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Ninguém sabia o porquê deste cão chegar deformado no abrigo


Em abril de 2016, quando protetores dos animais trouxeram Squish para o Abrigo de Animais do Condado de Cuyahoga, em Ohio (EUA), todos ficaram horrorizados: o crânio do cão estava totalmente deformado. Porém, ainda que os ferimentos fossem tão ruins que o cachorro sequer conseguisse mover a língua entre os dentes, ele se sentia agradecido pelo resgate e queria lamber os membros da organização. 







Os veterinários locais acreditavam que os ferimentos do cãozinho fossem infecções de uma mordida de outro cachorro, e o trataram com antibióticos e analgésicos. Em seu lar temporário, a condição do cão piorou, pois ele simplesmente não tomava os remédios. Squish não conseguia abrir a boca devido aos seus ferimentos e por isso foi perdendo cada vez mais peso e forças. Com grande pesar, apenas 2 meses após o seu resgate, os veterinários decidiram que deveriam acabar com o sofrimento do cachorro.


Contudo, os protetores que o havia resgatado não desistiriam tão facilmente. Eles tentaram incansavelmente salvar a sua vida e o levaram aos especialistas da Clínica Great Lake. Uma tomografia computadorizada revelou algo chocante, mas que lhes deu novas esperanças. A lesão não tinha sido causada por uma mordida, mas por golpes fortes com algum objeto pesado. 


Mais operações dolorosas seriam necessárias para que Squish pudesse voltar a comer. No entanto, eles sabiam que a questão da adoção era um problema. Afinal, quem iria assumir todos os custos sem sequer saber se o cão sobreviveria? Quem iria querer um cachorro com uma aparência tão diferente e que precisaria de cuidados médicos tão caros? 


A Dra. Danielle Boyd, que na época fazia um estágio na clínica, foi encarregada de levar Squish para a sala de exames. Quando a jovem pegou o cãozinho especial nos braços, ele piscou seu olhinho marrom para ela. "Eu fiquei emocionada com aquele pequenino que tinha sofrido tanto", conta ela. A futura veterinária ficou impressionada como o pequeno Squish era um cão tão positivo e amável, apesar de tudo o que tinha passado. Squish merecia ser amado. 


Foi assim que Danielle decidiu levar o cão para sua casa por uma noite para lhe dar um descanso da clínica. "Ele olhava pela janela do carro, observava tudo lá fora e balançava o rabinho. Parecia que estava rindo", conta ela. Ao chegar em casa, o cachorro dormiu imediatamente nos braços de Danielle. 


Porém, ela própria não dormia. Ela só conseguia pensar que aquela poderia ser a última noite de vida de Squish. No dia seguinte, Danielle tomou uma decisão: Squish deveria viver com ela. 


Não foi só Danielle que tomou uma decisão: sua colega, a cirurgiã veterinária Dra. Eileen Heldmann, também ficou apaixonada pelo cachorro e aceitou operá-lo no dia seguinte. Após a cirurgia, Squish finalmente voltou a comer por conta própria. 


Outras operações foram feitas. No processo, o cão perdeu um dente, o olho direito e parte da mandíbula. Porém, agora que está recuperado o cão é uma máquina de brincar. Ele ama correr atrás de sua bolinha, de gravetos e, claro, receber carinho de sua dona. 


O futuro que uma vez parecia tão sombrio para esse cachorro agora inclui aulas iniciais para se tornar um cão de terapia certificada. "Ele ama crianças e eu quero que ele as faça sorrir e mostrar-lhes o quão bem ele faz aos outros, mesmo com suas deficiências e que está tudo bem ser diferente", explicou Danielle. 


Squish chegou ao abrigo de animais no momento certo, já que Danielle tinha acabado de perder seu amado e velho cachorro de estimação. Em seu luto, Danielle conheceu Squish, que mostrou precisar tanto dela, quanto ela dele. Às vezes, o destino pode ser fascinante.

Informações: The Dodo via Não Acredito
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário