Páginas

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Mulher que passou anos acreditando ter HIV descobre toda a verdade após ter um filho.


Uma mulher tailandesa chamada Suthida Saengsum, de 20 anos, teve sua “infância arruinada” após ter sido erroneamente diagnosticada como portadora do vírus HIV. Quando criança ela sofreu duras rejeições, devido a sua suposta condição, no entanto, hoje ela busca uma forma de compensação ao processar o Ministério Público da Tailândia.

Saengsum recebeu recentemente os resultados de dois novos exames de sangue, mostrando que ela nunca teve o vírus. “Chorei sozinha todas as noites em casa”, disse. “Nenhum dinheiro poderia pagar o que eu sofri e eu gostaria de dizer isso ao médico”.
Ela foi diagnosticada com HIV depois que seus professores a levaram para realizar o teste, há 12 anos. A equipe da escola teria ficado preocupada, porque seu pai havia morrido de AIDS enquanto a mãe estava sofrendo de alergia grave. Contudo, não houve um teste posterior que confirmasse o primeiro resultado, então, ainda criança, ela passou a tomar medicamentos antirretrovirais diariamente.
Ela afirma que a discriminação que sofreu levou-a a abandonar a escola. Quando se casou, apesar de usar métodos contraceptivos, acabou engravidando do primeiro filho, hoje com cinco anos. Decidida a testar o filho, ela ficou surpresa ao descobrir que ele não tinha HIV. Foi então que resolveu fazer um segundo teste nela mesma. Quando os resultados mostraram que ela não tinha o vírus, parou imediatamente de tomar os medicamentos.


Mesmo assim, ela continuou a ter dúvidas sobre sua saúde e no início do mês resolveu fazer um terceiro exame, o qual também saiu negativo para a presença do HIV. Ela contou que quando recebeu os resultados explodiu em lágrimas: “Meus filhos, de agora em diante vocês não terão que se envergonhar ou se esconder dos outros, porque não tenho HIV”.
O caso de Saengsum está longe de ser o primeiro do tipo no país. O presidente de uma rede de pessoas afetadas por negligência médica, disse que a Tailândia recebeu várias queixas de pessoas que sofreram diagnósticos errados. Foi citado o caso de uma enfermeira diagnosticada com HIV que recentemente ganhou uma ação contra o médico responsável por seu exame de sangue. Por causa do erro, ela teve que tomar medicamentes por quatro anos, perdendo uma oportunidade de trabalho no exterior. O nome do hospital envolvido no caso de Saengsum não foi divulgado.
Imagine só o pesadelo que esta mulher viveu por tantos anos enquanto pensava que era HIV positivo. Ficamos felizes em saber que ela nunca tenha tido a doença, entretanto, esperamos que os responsáveis por esse erro irreparável sejam punidos.

Informações: Daily Mail
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário