Páginas

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Aos 23 anos ela já é mãe de 14. Quando adolescente ela decidiu trabalhar em uma comunidade pobre e não parou de adotar crianças.


Há pessoas que desde cedo sentem a necessidade de ajudar o próximo em tudo que é possível. Esse é o caso de Katie Davis Majors, uma menina dos EUA que aos 18 anos foi trabalhar em uma comunidade pobre de Uganda durante 3 semanas para conhecer os problemas locais. 






Ela era uma adolescente que até então só tinha tido as dificuldades típicas das meninas de sua idade. Ela estava terminando o Ensino Médio e se preocupava com banalidades que, após ver como as pessoas lutavam para sobreviver na Uganda, logo deixaram de importar. 
Katie experimentou em primeira mão o sofrimento, a fome e todas as dores pelas quais os ugandenses passavam no dia a dia. Mas também notou como eles sempre viam o lado positivo e superavam quase tudo que a vida os impunha. As 3 semanas passaram voando e, com dor no coração, ela teve que voltar para casa e deixar para trás os amigos e as pessoas incríveis que tinha conhecido ali. 


Por isso, depois de muitas visitas, não demorou para que ela se mudasse de vez para Uganda para trabalhar como professora de meninas órfãs. Ela estava determinada a ajudar aquelas que necessitavam de sua sabedoria. Mas pouco tempo depois, ela lhes daria muito mais do que sabedoria. 
Emocionada pelas vidas difíceis que essas meninas tinham, ela decidiu fazer algo que muitos considerariam loucura: adotou 13 meninas! Assim, Katie se viu mãe de 13 aos 23 anos. Além disso, ela conheceu lá um homem pelo qual se apaixonou e acabou se casando, Benji, com quem teve um filho biológico. Isso fez com que a família tivesse, ao todo, 14 filhos! 


Para apoiar economicamente a sua enorme família e outras famílias locais, Katie começou uma organização chamada Amazima, que significa "verdade". Ela arrecada dinheiro para as comunidades ugandenses mais necessitadas. 
Katie também escreveu livros sobre sua experiência, nos quais insiste que todas as pessoas ajudem as que mais precisam. Agora, com seus 14 filhos seu marido Benji, ela continua em Uganda ajudando a comunidade, enquanto seus filhos crescem e amadurecem para, esperamos, tornarem-se pessoas tão bondosas como a mãe. Tudo de melhor para todos eles! 

Informações: Uplift via Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário