Páginas

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Jovem sai do bar para fumar um cigarro fica tonta e acorda sem as duas pernas


Mandy Horvath perdeu suas duas pernas acima do joelho depois que ela foi atropelada por um trem de carvão quando ela sofreu um apagão na pista perto de um bar em que ela estava em Steele City, no Kansas.





A estudante diz se lembrar de sair para fumar um cigarro antes de apagar e acordar em uma ambulância enquanto os médicos lutavam para salvar sua vida, após ser atingida por um trem que viaja a 80 km/h.
Três anos depois do acidente, Mandy, de 24 anos, agora é capaz de dar alguns passos usando suas novas pernas protéticas - e está determinada a não deixar a horrível tragédia acabar com sua vivacidade. A jovem, que agora mora no Colorado, disse: "Eu acredito que fui envenenada com uma droga de estupro e desmaiei, porque fui encontrada a meio quilômetro do pub e não tenho lembrança de chegar lá”.




"Eu sei que não bebi tanto, tomei duas cervejas e dois shots - minha comanda e a quantidade de álcool em meu sangue provam isso. Lembro-me de sair do pub para um cigarro e me sentir um pouco tonta e mais nada. Quando fui encontrada, os médicos obviamente estavam focados nas feridas em minhas pernas e em salvar minha vida, por isso não me examinaram para ver se a droga estava no meu sistema. Os médicos inicialmente pensaram que eu tentava cometer suicídio. Quando eu consegui dizer o que eu lembrei, era muito tarde para fazer o exame toxicológico. A polícia investigou, mas nada foi comprovado. Minha última lembrança é de fumar um cigarro lá fora e então tudo ficou escuro - a próxima coisa que lembro é de estar em uma ambulância sem minhas pernas. Depois de ter sido informada pelo paramédico que minhas pernas foram arrancadas, comecei a entrar em pânico e tentei chutá-los no ar, foi só depois que eu vi meu sangue em todos os lugares que soube que era verdade".


Mandy acrescentou: "Eu estava tendo uma noite ótima, até isso acontecer. Eu tive que ficar no hospital por meses para receber uma cirurgia no que restava das minhas pernas, mas enquanto eu estive lá estava determinada a não deixar que isso me destruísse. Desde então, eu me concentrei em me levantar e andar novamente, sempre fui muito ativa e soube imediatamente que eu iria superar isso".




Após o acidente, Mandy teve que ficar no hospital por vários meses enquanto os médicos tentavam realizar uma cirurgia para salvar o tecido da perna. Apesar de várias cirurgias, os ossos restantes na perna de Mandy começaram a crescer, o que levou a serem amputados de novo. Mas agora, com muita determinação, a garota está dando seus primeiros passos desde a tragédia.


Ela disse: "Foi um fracasso, apesar dos 12 meses de recuperação, ainda não consegui aprender a caminhar novamente. Até que, em abril de 2015 eu consegui experimentar minhas próteses. As primeiras que me forneceram foram tomadas de sucção - e porque meu peso corporal estava flutuando regularmente, isso significava que minhas pernas caíam. Mas, quando me mudei de Kansas para Colorado eu consegui melhorar as próteses e tenho aprendido a caminhar com elas desde então. Todos os dias eu as uso, e tem sido um desafio, pois, ainda estou aprendendo a andar com elas".


Apesar de Mandy se deparar com essa situação tão inimaginável, ela ainda continua sendo a pessoa ativa que costumava ser antes de seu incidente - e ela não deixou sua deficiência impedir que ela aproveitasse a vida.


Agora ela está angariando dinheiro para seus cuidados médicos, se você tiver interesse de doar a esta causa, clique aqui.

Histórias como estas precisam ser divulgadas por dois motivos muito importantes.

1 – Nunca, em hipótese alguma, deixe de monitorar sua bebida quando estiver em lugares públicos e não aceite bebida de estranhos, por mais clichê que isso possa parecer, é uma ameaça real.
2 – Independente de suas limitações é importantíssimo continuar vivendo a vida da melhor forma possível. Não desista de seus sonhos!

Informações: Daily Mail
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário