Páginas

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Garota de 10 anos luta contra crocodilo para sobreviver


Quando o verão chega, a praia é o lugar onde todos gostariam de estar. Tomar uma água de coco refrescante, sentir a areia entre os dedos e mergulhar na água fresca são apenas algumas das muitas coisas relaxantes que esperamos fazer em nossas praias locais. Por mais relaxante que seja, os visitantes devem se lembrar que grandes volumes de água ainda são habitats para animais selvagens, e não importa quão seguro você pense que está, os desastres podem acontecer em um piscar de olhos.






Mesmo assim, Juliana Ossa, de 10 anos, e sua mãe nunca esperavam que, o que deveria ser um perfeito dia na praia, terminasse em uma luta de vida ou morte.

Juliana e sua mãe estavam relaxando na praia do lago Mary Jane, em Orlando (EUA) no mês passado. A mãe de Juliana estava na praia com outros convidados enquanto Juliana estava sentada na orla, brincando tranquilamente na água, que não estava muito alta. O estado da Flórida é conhecido por ser um lugar cheio de crocodilos famintos, pois o habitat é perfeito para eles. De qualquer forma, sempre existem praias protegidas por redes e valas que permite às pessoas nadar livremente sem medo de ser atacado. Ou pelo menos é isso que pensavam...


Até que Emilio Aquino ouviu o som arrepiante dos gritos de uma criança.
"Eu percebi que ela estava gritando que tinha pegado um jacaré", disse Aquino a Fox News.
Um jacaré de aproximadamente 3 metros de comprimento havia agarrado a perna da garotinha e não a largava, apesar dos golpes desesperados que a menina desferia em seu corpo. Aquino, temendo pela vida de Juliana, imediatamente correu para a água.
No entanto, apesar de todo pânico e choque, o réptil não contava com um pequeno detalhe: ele não estava enfrentando uma pessoa qualquer.
"Eu tentei acertá-lo para conseguir me libertar, mas não funcionou", Juliana disse à Inside Edition.
Até que, ela se lembrou de alguns conselhos que ela aprendeu em uma visita ao Gatorland de Orlando, um parque de jacarés. Lá, eles ensinaram uma forma de fazer as feras abrirem a boca, e foi o que ela tentou: com dois de seus dedinhos, ela tapou as narinas do crocodilo. Em poucos segundos, o animal abriu a boca para poder respirar, o que lhe deu tempo para se libertar. 


Aquino então agarrou a valente Juliana e a levou para a praia onde os socorristas trataram suas feridas. Uma ambulância chegou pouco depois para levá-la para a sala de emergência, onde recebeu dez pontos. Sua perna, embora machucada e ensanguentada, saiu ilesa ao ataque feroz. 


Algum tempo depois, o jacaré foi capturado, retirado do lago e abatido por caçadores.


Foi uma façanha incrível para uma garota com apenas 10 anos de idade. Seu rápido pensamento impressionou a todos.
"Conseguir que o animal que tem a mordida mais forte do mundo te solte é um milagre", disse Donald Aldarelli, do Gatorland. "Estou muito feliz que nossa dica tenha ajudado."
Seus pais também estão conscientes de que, sem a coragem e a força de Juliana, a história poderia ter tido um final muito diferente.


"É um final feliz para uma história que, normalmente, não termina com um final feliz", disse Jamie Ossa, o pai de Juliana, ao Today.
Juliana, por sua vez, espera que, se alguém passar por uma situação como a dela, eles seguirão seu exemplo.
"Se você já está em uma emergência com um jacaré, ou se um jacaré te atacar, faça o mesmo. Não fique com medo”, disse Juliana ao Today.
As histórias de ataque de jacarés parecem ser uma constante na Flórida—no ano passado, um menino de 2 anos morreu em um ataque deste tipo em um resort da Disney —mas estatisticamente, os ataques são raros.
Apenas 14 pessoas morreram em ataques deste tipo desde 2000.
As dicas se você for atacado por um jacaré são: faça muito barulho, tente correr e lute contra o animal se ele lhe agarrar. 

Informações: UpLift, Não Acredito, MSN Notícias
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário