Páginas

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Médicos retiram 8 cm do colo do útero de mãe de um bebê único no mundo


A norte-americana Katie Hanson, de 23 anos, teve a vida literalmente salva pela própria filha - isso antes mesmo da menina nascer. Mas pouco depois, quando os médicos disseram-lhe para abortá-la, ela sabia que estava na hora de retribuir o favor e salvar a menina. 






Tudo começou quando a jovem engravidou e, durante um exame de rotina, os médicos detectaram um câncer de colo do útero. Foi então que eles a aconselharam a abortar, para que ela pudesse começar o tratamento. Porém, ela já tinha decidido: sem seu bebê, ela não teria descoberto a doença a tempo, e por isso não poderia fazer algo assim com sua futura filha. 


Após dar à luz sua "salvadora", a quem chamou de Willow, os médicos retiraram 8 cm do colo do seu útero, o que conseguiu livrá-la do câncer. Porém, a vida logo traria um novo obstáculo. 


Quando Willow tinha apenas 3 meses, Katie notou que ela tinha dificuldades para respirar e comer, e que a comida não chegava de forma adequada ao seu estômago. Após exaustivos exames, no qual analisaram até seu DNA, eles descobriram que a bebê tinha algo extremamente raro: a chamada doença de inclusão celular (ou mucolipidose tipo II). 


Essa doença estranha, da qual se conhecem apenas 72 casos no mundo, afeta o coração, a digestão, a respiração e as articulações de Willow. Sua fragilidade extrema faz com que até um resfriado possa ser fatal. Os médicos pensavam que ela não viveria mais do que 3 anos. 


No entanto, Willow já tem 22 meses de idade e, segundo sua mãe, é uma menina muito feliz. Por isso, está decidida em criar o maior número de recordações possíveis com sua filha. Por exemplo, ela já conseguiu dizer "mama", apesar dos médicos dizerem que ela seria muda. 


Katie, que cuida de Willow em tempo integral, disse: "Willow foi minha salvadora e, se eu não tivesse engravidado dela, jamais saberia do câncer que se desenvolvia. Nossa principal prioridade é que ela se sinta confortável e feliz, e, apesar de todos os problemas que ela enfrenta, ela é uma menina muito feliz." 


É evidente que, tanto a mãe, quanto a filha são duas guerreiras! Esperamos que dê tudo certo na vida da família!


Informações: Não Acredito / Daily Mail
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário