Páginas

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Os vizinhos estavam fartos de ver esta mulher limpar a casa nua. Mas quando ela morreu aos 101 anos, eles viram que a casa dela era algo inimaginável.



Em dezembro de 2016, Frances Gabe, uma residente de Newberg, no estado do Oregon (EUA), morreu aos 101 anos. Seus vizinhos não estavam certos se Francis era louca ou um gênio. Mas por que eles pensariam isso? Bem, a primeira chave para responder esta questão vem do fato de que ela não limpava sua casa há mais de duas décadas, e também não tinha ninguém que fizesse isso para ela. Como isso era possível? Vamos ver...


Assista ao vídeo: 






Acontece que Frances vivia em uma casa diferente. O que era tão especial nela? Ela era autolimpante - e foi ela quem a inventou! Tudo começou nos anos 80, quando Frances não suportava a quantidade de trabalho que demandava criar dois filhos e fazer as tarefas do lar. 
Um dia, confrontada por uma mancha de geleia de figo que estava escorrendo pela parede da cozinha, ela perdeu a paciência e limpou tudo com uma mangueira de jardim. Apesar de parecer uma reação extrema, isso lhe deu uma ideia. Aqui nós vemos Frances com o modelo da casa que ela queria, em 1979:



Em 1984, Frances tinha transformado sua casa na primeira casa autolimpante do mundo. Graças a 68 invenções patenteadas, a casa dela se lavava e secava sozinha. Era basicamente uma máquina de lavar gigante. Não só as paredes e os pisos eram limpos, mas também as roupas nos closets, as louças nos armários da cozinha e a casinha do cachorro (incluindo o cachorro!). No início do "ciclo de lavagem", Frances pegava um guarda-chuva e uma capa e tinha apenas que apertar um botão para ativar o sistema. 







O piso da casa era de azulejo até a parede, e havia ralos nos cantos dos cômodos. Isso significava que a água que caía do teto pelo sistema de irrigação logo era drenada para fora da casa, passando pela casinha do cachorro, dando banho no cão no processo. O sistema de irrigação primeiro cobria a casa completamente com água com sabão, depois enxaguava e, para terminar, um vento quente secava toda a casa. 



Em menos de uma hora, as paredes, pisos, banheiros, banheira e até roupas estavam secos, quentes e limpos. Para realizar a limpeza, Frances cobria a maioria das superfícies da casa com plástico, ou colocava alguns itens em varais. A casa não tinha carpetes ou cortinas, já que eles acumulam muita poeira. Sua casa inovadora foi um sucesso nos anos 80, aparecendo em programas de televisão e sendo visitada por turistas, como se fosse um museu.



Quando ela projetou a casa, seu objetivo era tornar a limpeza mais fácil para pessoas com deficiência, idosos, e mães e mulheres que tinham que fazer tarefas domésticas. As mulheres poderiam passar mais tempo com suas famílias. "Eu quero eliminar a movimentação desnecessária para que deficientes e pessoas idosas possam cuidar de suas casas sozinhas", Frances explicou.



Apesar de querer ajudar as pessoas com as tarefas do lar, Frances era vista por seus vizinhos como sendo uma pessoa excêntrica e difícil. Em sua juventude, ela costumava limpar a casa nua. Infelizmente, um terremoto em 2001 danificou a tecnologia usada para a autolimpeza da casa, e, desde então, apenas o sistema de irrigação da cozinha funciona. 






Em 2008, a família de Francis a mandou para um lar de idosos, onde ela eventualmente morreria sozinha, aos 101 anos. Ela viveu mais do que seu marido e seus filhos. No entanto, mesmo que a morte dela quase não tenha sido notada, seu trabalho e invenções são uma verdadeira inspiração, e algo a ser admirado até hoje. Afinal, Frances passou 20 anos sem fazer limpeza na casa! Não é o sonho de todo mundo ter uma casa que faça esse trabalho para você?




Informações: Daily Mail, via Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário