Páginas

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

O menino chorava gritando no avião, mas ninguém fazia nada. Então, essa mulher se levantou e se tornou uma heroína.


Bentzion Groner e sua esposa, Rochel, se sentaram em um avião com destino à Carolina do Norte (EUA). 
O casal se preparava para um voo longo, porém, não tinham ideia do que ainda iria acontecer.



 


Logo após o avião decolar, um garotinho amedrontado começou a chorar muito. Enquanto ele gritava era evidente a tensão de seus pais que não conseguiam acalmá-lo e o incomodo entre os outros passageiros. Ninguém dizia nada, mas estavam bastante desconfortáveis com a situação. O menino era autista e, normalmente, pessoas nessas condições costumam estranhar situações e ambientes atípicos, como, por exemplo, voar em um avião.



Foi então que Rochel, que trabalha em uma clínica para jovens com deficiência, decidiu que não poderia ficar apenas observando o garoto entrar em colapso. Ela se levantou, foi até ele:
"Eu estendi minha mão, e ele a segurou", disse ela. "Foi um momento tão surreal, ele simplesmente pegou e parou de chorar. Ele me seguiu até o corredor. Caminhei até um canto e me sentei e coloquei-o no meu colo, dei um abraço suave, mas firme. Ele se acalmou”.



Nas duas horas seguintes, os dois ficaram juntos em um canto enquanto desenhavam, brincaram e Rochel deixou que ele mexesse em seu celular. Como em um passe de mágica, ele rapidamente relaxou e estava visivelmente mais tranquilo.
Foi com calma, respeito e compaixão que Rochel criou uma linda conexão e passou segurança ao garoto na hora em que ele mais precisava.
Os pais do menino ficaram muito agradecidos, assim como os outros passageiros. 

Informações: So Share This
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário