Páginas

domingo, 20 de agosto de 2017

Mulher negra que se transforma lentamente em branca devido a um efeito colateral ultra-raro, explica porque está horrorizada com sua condição


Uma mãe de dois com câncer diz que está "perdendo sua identidade como mulher negra" devido a um efeito colateral ultra-raro, o que significa que seu tratamento está lentamente tornando-a branca.










Paula Edwards, 54, foi diagnosticada com câncer de rim terminal em 2012 e inicialmente recebeu 12 a 18 meses de vida. Mas mais de cinco anos depois, ela ainda está desafiando as chances e mantendo seu trabalho como um oficial de atendimento comunitário. Após passar por uma cirurgia pela quarta vez no ano passado, Paula começou a tomar os comprimidos Votrient. 


Mas notavelmente, ela diz que a droga também clareou sua pele dramaticamente, deixando todos confusos. Paula, diz que os médicos disseram que há uma chance de que seu tom de pele continue a ficar mais claro até o ponto em que ela pareça caucasiana.



Ela agora está "orando", ela não quer se tornar totalmente branca e revelou que sua filha agora diz a ela "você não se parece com minha mãe".



Ela disse: "Tomei os comprimidos de câncer em 2016 após o meu último lote de cirurgia, pois o câncer voltou novamente pela quarta vez e estava no meu pâncreas e no cólon”.
"Eu notei pela primeira quando vi uma foto minha com minha filha Reccarnei em 14 de maio do ano passado”


“A transformação começou muito sutilmente, indo aos poucos, mas não era óbvia, eu ainda estava bastante escura e depois passou a progredir”.
"Em novembro ficou muito evidente. Enquanto eu tratava o câncer, sempre fui ao trabalho, vi meus colegas e tentei alcançar as coisas”.


"Mas eles não me viram durante este tempo porque eu estava lutando para lidar com a perda da minha cor”.
"Eu sinto que perdi minha identidade”.
"Embora as pessoas digam 'Paula, você ainda é Paula, você ainda tem seu lindo sorriso e sua voz' - mas eu não sinto como eu mesma."
Paula disse que algumas pessoas até a acusaram de "branqueamento" em uma tentativa deliberada de clarear a pele. Ela acrescentou: "Quando as pessoas branqueiam a pele, há ainda vestígios, por exemplo, os dos dedos e cotovelos ainda ficam totalmente pretos”.
“Mas eu fiquei branca por inteiro, de cima a baixo, até no cotovelo”.
"Eu me sentia insultada quando as pessoas diziam, “Paula, você fazendo branqueamento?”. Eu nunca faria isso.
"Eu não quero parecer ingrata, pois ainda estou aqui, mas não estou feliz porque perdi minha cor”.

Informações: Mirror
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário