Páginas

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Médicos reconstroem seios de mulher com o seu estômago depois dela ser diagnosticada com doença fatal


Liz Williams, agora com 24 anos, de Southend, Essex, estava obcecada por verificar possíveis sinais de câncer de mama depois de desenvolver um cisto menor quando tinha apenas 14 anos.









Ela disse: "A mãe do meu pai morreu de câncer de mama antes de eu nascer. Eu encontrei um cisto quando eu tinha 14 anos e eu tenho sido paranoica sobre isso desde então”.

Mesmo como uma garota em idade escolar, Liz verificava seus seios diariamente - apesar do câncer de mama ser mais comum em mulheres de 50 a 70 anos.


Foi em 2014 que recebeu a devastadora notícia de que ela tinha câncer depois de encontrar um nódulo e notar que seu mamilo esquerdo estava invertido ao tomar banho. No dia seguinte, ela visitou seu médico, que a encaminhou para Southend Hospital, Essex, para testes adicionais.
"Eles me disseram que estavam com 95% de certeza de que não era nada sério porque eu já tinha protuberâncias antes e eu ainda tinha apenas 21 anos”.
Depois que os médicos fizeram uma biópsia, Liz enfrentou uma espera de uma semana de resultados, mas, durante esse período, ela se convenceu de que tudo ficaria bem. Mas, quando ela voltou para o hospital, ela foi convidada para uma sala privada onde um médico, um cirurgião e três enfermeiros estavam esperando por ela.
Ela disse: "Eu acho que sabia que era sério".
Com sua mãe, Nell, 54, ao seu lado, Liz foi informada de que ela tinha câncer de mama no estágio 1. Os médicos também explicaram que ela precisaria de cirurgia - além de quimioterapia e radioterapia.
Dez dias depois, Liz sofreu uma tumorectomia para remover o caroço, bem como o tecido circundante. Os resultados mostraram que os cirurgiões haviam removido com sucesso o nódulo cancerígeno, mas ainda precisava de seis sessões de quimioterapia, o que causou a queda de seu cabelo e sobrancelhas, e quatro meses de radioterapia para garantir que todas as outras células cancerosas tenham sido mortas.


Surpreendentemente, Liz recebeu outro golpe em fevereiro de 2015, quando uma cânula foi colocada em seu braço, para permitir que os medicamentos de quimioterapia gotejassem lentamente, ela desenvolveu septicemia ou envenenamento de sangue.
Ela explicou: "Acabei no hospital com septicemia e um coágulo de sangue no meu braço direito. Eu quase morri por isso. Eu estava lutando contra o câncer, mas o que deveria me ajudar quase me matou”.



Felizmente, Liz se recuperou da septicemia e foi informada de que seu tratamento tinha sido bem sucedido. Mas os testes de acompanhamento, que analisaram o motivo do desenvolvimento da doença tão precoce, descobriram que ela tinha o gene BRCA1 - e uma chance de 65% de ter câncer de mama novamente.
Mas os testes de acompanhamento, que analisaram o motivo do desenvolvimento da doença tão jovem, descobriram que ela tinha o gene BRCA1 - e uma chance de 65% de ter câncer de mama de novo. Incapaz de encarar o pensamento de ter que combater novamente a doença, Liz decidiu submeter-se a uma mastectomia dupla e a uma cirurgia reconstrutiva.
Ela explicou: "Eu sabia que passaria o resto da minha vida me preocupando com isso. Acho que tomei a decisão rapidamente uma vez que ouvi isso”.


Em setembro passado, Liz sofreu uma mastectomia dupla e aumento de mama - onde os cirurgiões reconstruíram seus seios novos com tecidos do estômago.



Após a cirurgia a garota, brincou: 

"Eles usaram meu estômago para reconstruir meus seios, então agora eu tenho um estômago completamente plano e grandes seios. Meu cirurgião fez um trabalho brilhante".



Informações: The Sun / Mirror
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário