Páginas

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Homem deixa cão da raça Pug com cuidador desconhecido para viajar e quando volta fica em choque ao olhar para seu animal


Infelizmente, nem todos os hotéis, restaurantes e outros locais de laser permitem a entrada de animais. Quando precisamos viajar acabamos deixando nossos bichinhos de estimação com pessoas de nossa confiança, que sabemos que vão tratar nossos amiguinhos peludos tão bem quanto nós mesmos.





ATENÇÃO! ESTA MATÉRIA CONTÉM IMAGENS QUE PODEM SER PERTURBADORAS PARA ALGUMAS PESSOAS.

Porém, o que aconteceu com o cão de um australiano, te fará pensar duas vezes antes de deixar seu pet com alguém enquanto não estiver por perto.
Jackson Millan, de Sydney, Austrália, havia procurado na internet algum serviço para cuidar de seus cachorros o Pug Otis e o Boxer Dobby, por seis semanas enquanto viajava para o Brasil.



Depois de muitas pesquisas, ele achou uma agência de cuidados para animais de estimação chamada “Mad Paws” e lá ele encontrou um homem aparentemente confiável e competente para cuidar de seus bichinhos. Então Jackson fez questão de se encontrar com ele em um parque para cães e até visitou sua casa, ele confiou no rapaz e acreditava que seus cachorros seriam muito bem tratados e além de tudo, estariam seguros.
Durante a viagem, o proprietário dos animais pedia repetidamente que o homem mandasse fotos dos cães para ter certeza de que estavam bem. Então, depois de muita insistência ele enviou as imagens que mostravam Otis usando seu arreio que parecia não ter sido retirado há muito tempo, alegou Jackson.

Quando Jackson retornou de viagem, seu pesadelo estava apenas começando.


Ele levou Otis ao veterinário e afirma que eles encontraram um corte de 15 cm no pescoço do cão, causado pelo atrito de seu arreio, o qual ficou no cachorro por mais de três semanas. A ferida já estava inflamada e com um forte cheiro de podridão.



Horrorizado, Jackson está profundamente abalado. Ele denunciou o terrível "cuidador" para a polícia, à Mad Paws e às Sociedades Reais para Prevenção de Crueldade aos Animais na Austrália. Agora, ele está arrecadando doações online, pois quer contratar um advogado competente para processar o homem.



Otis ainda não está fora de perigo: a infecção já o afetou gravemente e ele precisa de tratamento intensivo. 

Informações: Metro/ Não Acredito
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário