Páginas

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Garoto autista é encurralado por "valentões" ao visitar a avó e atacado na frente de seu pai


Imagem de reprodução

Romeo Smith, 9, de Mansfield, foi abordado por grupo de “valentões” que estava acenando bastões e chamando-o de nomes cruéis, ele escalou uma árvore para tentar escapar.




Mas, quando ele tentou se dirigir para sua casa, um dos garotos jogou uma tábua de madeira com um grande prego enfincado. O pedaço de madeira atingiu o jovem na parte de trás da cabeça e o prego encaixou-se em seu crânio.




A mãe Natasha, de 30 anos, uma enfermeira, estava andando para casa com Romeu e seus outros três filhos depois de visitar a mãe, quando Romeu foi alvo dos agressores.
"Romeu tinha ficado um pouco atrás", disse Natasha.
"É de costume que ele fique para trás pouco, ele faz muito isso por conta de seu autismo”.
"Ele gosta de parar e olhar para as coisas. Então eu estava ligeiramente à frente dele”.
Quando chegou a casa, Natasha percebeu que Romeu não estava atrás dela, então o pai do garoto, Craig, de 35 anos, imediatamente foi verificar o que tinha acontecido com o filho.
Ele encontrou o garoto a alguns minutos da casa da família, preso em uma árvore por três meninos que estavam chamando-o de nomes cruéis e provocando-o.
Quando seu pai se aproximou Romeu desceu, mas quando pai e filho começaram a caminhar, um dos meninos pegou uma placa de madeira que tinha um prego anexado arremessou em Romeo.



O prego ficou embutido na parte de trás da cabeça de Romeu com a madeira ainda em anexo. Seu pai o levou para casa e Natasha decidiu que era muito perigoso removê-lo, temendo causar mais lesões. Romeu foi levado para Manfield King's Mill Hospital, onde os médicos lhe deram morfina e removeram o prego que se curvou quando atingiu o crânio do garoto.




Natasha acrescentou: "Meu marido estava aterrorizado, e eu estava muito chateada, mas Romeu foi muito corajoso. Ele é um menino muito sortudo porque poderia ter sido muito mais grave”.
Ele recebeu alguns antibióticos, pois o prego estava muito sujo e a madeira coberta de insetos. Os médicos foram realmente incríveis e Romeo parece bem agora, mas o acontecimento foi lastimável.


                                   




"Não sei se isso teve algo a ver com seu autismo, mas acredito que o viram como vulnerável”.



"Se eu pudesse falar com os meninos responsáveis, eu lhes diria que deixassem de intimidar os outros. Eu lhes diria que parassem com os xingamentos e violência. Não quero que isso aconteça com nenhuma outra criança”. 

Informações: Daily Mail
Edição: Redação NC.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário