Páginas

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Adolescente de 17 anos é forçada a dar à luz na rua depois de ser recusada em centro de saúde "porque ela estava sozinha".


Uma adolescente abandonada foi forçada a dar à luz ao bebê pero de uma estrada depois que a equipe do centro de saúde se recusou a ajudá-la. 













A menina de 17 anos, do distrito de Saraikela-Kharsawan, em Jharkhand, no leste da Índia, estava em um relacionamento com um homem em sua aldeia quando engravidou. 

Ele deixou a garota, que não teve o nome revelado por razões legais, quando ela lhe disse que ela estava grávida, e a família dela também lhe virou as costas temendo que ela os envergonhasse.
De acordo com os habitantes locais, a jovem tinha sido vista vivendo nas ruas por mais de quatro meses. Na segunda-feira, às 19h, ela começou a entrar em trabalho de parto e se aproximou do centro de saúde local, Chandil Sub Divisional Hospital, para obter ajuda. Mas, a equipe recusou-se a assumir a responsabilidade por ela, já que ela não era acompanhada por um tutor. Às 5 da manhã, na manhã seguinte, a menina deu à luz sua filha no lado da estrada, a apenas 30 metros do centro de saúde. 
Um pedestre percebeu sua roupa embebida em sangue e um cordão umbilical ainda preso a um bebê e fez um alarde. Om Prakash Sharma, de 50 anos, residente da área, disse: "A mãe e o bebê estavam deitadas na rua com dor. Eu coloquei barreiras ao redor deles para que eles não fossem atingidos por algum veículo”. 



"Um homem foi ao centro de saúde pedindo ajuda, mas recusaram. Eles disseram que não podiam admitir a garota, pois não tinha um responsável para assumir a responsabilidade por ela. Em seguida, informamos a polícia”.
Eventualmente, a Dra. Lakhindra Hansda, médica, no Hospital Chandil Sub Divisional, saiu para cortar o cordão umbilical. Om Prackash conseguiu chamar o resgate, para que um grupo de senhoras pudesse finalmente admitir a garota e o bebê no Hospital Sub-Divisão Chandil, onde os dois foram eventualmente tratados.



A Dra. Lalita Kashyap, médica do hospital que recusou atender a adolescente, disse: “Tudo o que aconteceu foi errado e lamentável. Havia apenas dois enfermeiros no centro de saúde, que estavam ocupados cuidando de bebês gêmeos quando fomos informamos sobre a garota”. 



A menina e o bebê agora são estáveis ​​e estão sendo transferidos para um abrigo para mulheres. 


Informações: Daily Mail
Edição: NC
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário