Páginas

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Menino sai correndo atrás de cavalo no campo e sofre ataque feroz inesperado


Imagem de reprodução
Rosanna Maidana, da província argentina de Santa Fé, estava no campo com seu filho Renzo, de apenas 2 anos e 4 meses. Em um momento de descuido, Renzo correu atrás de um cavalo. O animal, assustado, deu coices e acertou o menino em questão de instantes.


Tudo parecia ter acontecido em câmera lenta: Rosanna viu seu filho no chão, com o crânio afundado pelo golpe do cavalo. Eles foram o mais rápido possível ao hospital, que ficava a 45 minutos de distância, enquanto a mãe falava com o menino para tentar mantê-lo consciente. Já no hospital, eles fizeram uma tomografia para determinar o quão grave era a lesão. E, infelizmente, era bastante: Renzo sofreu um traumatismo craniano tão grave que nunca mais conseguiria ser o mesmo. 



O dano neurológico era enorme e Renzo só se mantinha vivo graças a um respirador. Desde então, ele se tornou um menino com necessidades especiais.
Durante os anos seguintes, Rosanna teve que ir constantemente ao hospital com seu filho. Em uma dessas várias visitas, ela viu que uma enfermeira acompanhava um menino com problemas semelhantes aos de Renzo. Ela achou estranho que ele estivesse sozinho, sem nenhum familiar o acompanhando, e por isso perguntou quem era. Foi assim que ela ficou sabendo da triste história de Axel Figueroa, um garoto que tinha sido abandonado por causa de seus problemas neurológicos.
Axel, assim como seu filho Renzo, foi um menino comum até os seus 2 anos. No entanto, sua mãe biológica e seu parceiro o tinham batido tanto que danificaram seu cérebro. Chocada, Rosanna não conseguiu esquecer o rosto desolado de Axel e sua triste história. "Desde o primeiro momento em que o vi, não parei de pensar nele e de querer levá-lo para casa. Nunca consegui entender como uma mãe podia abandonar um menino dessa maneira", conta a argentina. Eu não tinha muitas informações sobre Axel, mas sabia que ele vivia em um orfanato chamado "Santa Cecília de Clarket", que só acolhia menino com necessidades especiais. 
Rosanna só tinha 25 anos, mas algo estava claro para ela: ela tinha que adotar Axel e lhe dar uma família. Na época, além de Renzo, ela tinha outro filho, de 3 anos, e por isso conversou com seus pais para receber ajuda. Juntos, eles começaram todo o processo para adotá-lo, mas, por ser mãe solteira, tudo era muito complicado. 
Um ano depois de começar o processo de adoção de Axel, Rosanna sofreu uma grande tragédia: Renzo faleceu.



 "Foi um tempo de luto muito difícil, tanto para mim quanto para minha família. Quando melhorei um pouco, entendi que, apesar da minha dor, havia um garotinho esperando ter um lar e uma família." Então, ela colocou todas suas forças em conseguir transformar Axel em seu filho. Ela foi a centros de apoio, preencheu vários formulários e teve que fazer um monte de entrevistas psicológicas. Mas seus esforços deram resultado: em agosto de 2014, ela se tornou a mãe oficial de Axel. 
Desde então, Rosanna, Axel e seu outro filho vivem felizes em família. Renzo, que fez com que ela se desse conta do terrível abandono que muitos meninos com necessidades especiais sofrem, está na memória de todos. Graças ao ato incrível dessa mulher, Axel não ficou sozinho e pôde receber o carinho e a ajuda que precisa para ser feliz. "Muitas vezes, quando estou lhe dando banho, me dou conta que faltam alguns ossos em sua cabeça e me pergunto que mal uma criatura de 2 anos pode ter feito para lhe castigarem dessa maneira e lhe deixarem sequelas assim", diz Rosanna. 





Rosanna não é apenas um exemplo de grande coração, como ainda está lutando para conscientizar sobre as dificuldades que meninos com necessidades especiais abandonados têm. Muitos deles vivem para sempre em orfanatos, sem receber o amor que toda pessoa precisa. Axel foi um dos sortudos, mas há muitos outros que estão esperando por uma família. Muitos de nós podem ser como Rosanna! 

Fonte: Infobae, via Não Acredito




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário