Páginas

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Mãe percebe cheiro ruim vindo da filha, médicos dão diagnóstico errado e a verdade só é revelada em outro pronto socorro


Imagem de reprodução
Katerina Getsevich, uma mãe de 30 anos, de Londres, Inglaterra, fez uma descoberta inesperada e repugnante ao sentir um cheiro ruim vindo de sua filha Accurisa Getsevich, de apenas 18 meses. Ela reparou que, mesmo quando acabava de sair do banho, a bebê apresentava um cheiro ruim. Foi então que, após esperar algumas semanas para verificar se o problema desapareceria, ela resolveu levar a filha ao médico.

Uma vez lá, o médico examinou a criança e descobriu que havia algo de errado em seu rosto. Ele notou que um pedaço apodrecido de esponja estava preso em seu nariz, causando o problema. Os sintomas, de acordo com a mãe, eram espirros constantes e sensação de congestionamento nasal, semelhante a um resfriado simples. Mas, o que despertou a atenção de Katerina foi o momento em que a criança começou a produzir secreções verdes e vermelhas.

O primeiro diagnóstico, feito por médicos de um hospital em Hammersmith, foi de um vírus misterioso e, portanto, foram-lhes prescritos alguns antibióticos. No entanto, Katerina notou que o problema persistia e duas semanas depois teve de retornar ao pronto socorro.

Accurisa foi novamente examinada e desta vez os médicos conseguiram encontrar um pedaço de material branco dentro de sua narina. “Cheirava a pus podre”, disse a mãe em entrevista ao The Sun. “Com uma pinça eles removeram gradualmente a massa, e eu descobri que era um pedaço de esponja”.





Inconformada, ela disse não ter certeza de onde o pedaço de esponja surgiu e como foi parar no nariz da filha. Contudo, suspeitava que pudesse ser parte do revestimento de uma caixa de brinquedos. Enquanto Accurisa se recupera do incidente, Katerina resolveu divulgar a história para que outros pais pudessem ficar em alerta em relação ao que as crianças colocam no nariz.



The Sun, via Jornal Ciência
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário