Páginas

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Sul africana passa a receber visitas regulares de jornalistas e professores universitários após expor casos assombrosos inacreditáveis


Imagem de reprodução

A maioria dos pais ama ouvir seus filhos contarem histórias sobre mundos mágicos e amigos imaginários. Normalmente isso não é motivo de preocupação, já que os pais não acreditam totalmente no que as crianças estão dizendo.

Mas no caso de Joey Verwey, os contos com os quais ela andava sonhando eram bastante fora do comum. 






Com apenas 3 anos, a menina da África do Sul contava histórias de "tempos passados" para seus pais. Com isso, ela estava se referindo a eventos que ocorreram em vidas anteriores; Joey lembrava de coisas que eram impossíveis para uma criança saber. Seus pais ficavam preocupados com o que ouviam.


Aos 5 anos, Joey recebia visitas regulares de professores universitários e jornalistas, cujo ceticismo inicial logo se transformou em assombro ao escutar as histórias. Ela podia se lembrar de 10 vidas anteriores e estava feliz em falar sobre coisas que ela tinha visto e feito "naquele tempo".
Em sua primeira vida, ela lembra ter vivido como uma habitante das cavernas, há milhares de anos. Ela conseguia descrever com riqueza de detalhes onde sua caverna estava localizada, levando investigadores ao local onde um grupo havia vivido em tempos pré-históricos. 


Em outra encarnação, Joey alegou ter vivido como escrava no Egito antigo, descrevendo as galés e técnicas de construção de estradas daquele tempo com detalhes precisos. Ela viveu outra vida como uma cristã perseguida no século 1 e é possível que tenha conhecido São Pedro.
No início do século 20, ela alega ter sido a neta de Paul Kruger, presidente da República Sul-Africana até 1902.
De acordo com Joey, ela foi casada duas vezes e teve 10 filhos. Pesquisas mostram que uma dessas crianças ainda está viva e é uma mulher na casa dos 90 anos. A idosa concordou em encontrar a jovem e falar sobre o passado, e Joey se lembrou de coisas que só a mãe da mulher poderia ter sabido.
Quem sabe para onde vamos quando morremos? Talvez consigamos nos lembrar desta vida em algum ponto de um futuro distante.



Fonte: Little Things, Freak Lore




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário