Páginas

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Saiba como era a higiene bizarra do século 19.


Imagem de reprodução
Já são conhecidas as condições insalubres das pessoas que viviam na Idade Média. Porém, poucos conhecem os problemas de higiene que se escondiam por baixo dos vestidos extravagantes do início do século 19. Há 200 anos era um tabu lidar com coisas como a transpiração e a limpeza da região íntima. Portanto essas questões de higiene pessoal eram muito estranhas.






Conheça agora um pouco mais sobre a higiene do século 19:



Banho uma vez na vida

Hoje em dia, nada mais natural do que tomar um banho após um longo dia de trabalho. Mas antigamente, muitos não concordavam em tomar banho em nenhuma situação. Os europeus acreditavam que a água podia causar infecções, e até mesmo enfraquecer o corpo. Já os monarcas se banhavam poucas vezes na vida, durante o século 15. Lavar o rosto regularmente também era algo que os médicos não aconselhavam, pois, essa prática estaria associada a inflamações e perda de visão.



“Banho: cura natural”

Naquela época, os médicos tinham que convencer seus pacientes a tomar banho. Por exemplo, o médico alemão Friedrich Biltz, no final do século 19, pediu que os cidadãos alemães tomassem banho no livro “Nova cura natural”. Confira um trecho do livro:
“Há pessoas que não se atrevem a nadar em um rio ou tomar banho, porque desde a infância nunca entraram na água; essas pessoas têm um medo infundado. Após o quinto ou sexto banho, você se acostumará com isso”.


Banho: caso de vida ou morte

As pessoas do século 19 somente se banhavam se estivessem realmente muito doentes e só se isso fosse prescrito pelo seu médico. Já o rosto,era limpo apenas com uma toalha molhada sem sabonetes, hidratantes, e muito menos loções para barbear.


Perfume: somente em caso de sobrevivência

Naquela época, os perfumes eram prescritos por um decreto do rei. Sem perfume,não era permitido aparecer no tribunal, pois o líquido disfarçava o cheiro ruim dos aristocratas que não se banhavam.
Higiene da região íntima deixa a mulher estéril?
Mulheres que viviam antes século 20 não eram recomendadas a lavar suas partes íntimas, pois naquela época se acreditava que esta prática poderia lhes deixar estéreis.

Atrás dos penteados perfeitos



Os penteados do século 17 eram muito difíceis de fazer: o cabelo era empilhado por um cabeleireiro, e eles chegavam a usar suportes para fazer isso.Naturalmente, os penteados não se desmontavam por semanas ou até meses. Portanto estas obras se tornavam viveiros de insetos e outros bichos. Na Espanha, durante a Idade Média, muitas pessoas tinham piolhos, caspas, seborreias e a solução encontrada foi esfregar alho nos cabelos, o que piorava ainda mais o cheiro.

Sem banho, sem xampu, sem papel higiênico



Na Europa, não era comum usar papel higiênico. Um alemão foi o primeiro a trazer o papel higiênico para o continente após uma viagem à China em 1857. Depois, os rolos modernos começaram a ser produzidos em 1890 nos Estados Unidos.Antes, as pessoas utilizavam os jornais.

Para os Curiosos, via Jornal Ciência




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário