Páginas

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Pai entra em desespero após filha perder o controle dos movimentos dos braços e pernas e médico encontra a causa em seus cabelos


Imagem de reprodução
Amanda Lewis, de La Grande, no estado americano do Oregon, postou um vídeo perturbador no Facebook, mostrando sua filha de 3 anos com o pai, Lantz. A garotinha estava agindo de maneira estranha e caía continuamente quando Lantz tentava mantê-la de pé. 








Assista ao vídeo:


"Nós tivemos uma manhã um pouco assustadora hoje, […] mas eu quis compartilhar isso para que vocês estejam cientes", postou Amanda. 
A filha dela começou a agir de maneira peculiar durante o banho na noite anterior. Evelyn não queria se levantar para colocar o pijama. Ela ficou fraca, fazendo com que sua mãe tivesse que observá-la durante toda a noite. 
O casal começou a ficar preocupado quando sua filha já não conseguir ficar em pé sozinha no dia seguinte. 
Lantz já tinha tido um tumor cerebral raro, mais comumente encontrado em crianças. O câncer foi descoberto quando ele estava servindo a Marinha Americana. Será que sua doença era hereditária? Foi isso que todos suspeitaram. 
"Esta manhã ela estava tendo dificuldade para se levantar. Ela mal podia andar ou engatinhar, e mal podia usar os braços. […] Nós decidimos levá-la até a emergência, […] porque os sintomas dela estavam piorando e, dado o histórico de Lantz com o câncer, nós ficamos muito preocupados", Amanda continuou. 
Amanda e Lantz então levaram a filha para uma unidade de pacientes críticos. A avaliação médica determinou o motivo para a paralisia parcial de Evelyn: 
O médico explicou que já havia tratado um punhado de crianças apresentando os mesmos sintomas nos últimos 15 anos, e suspeitava que uma infecção fosse a causa. Ele estava certo: a paralisia parcial era devido a um carrapato de cachorro encontrado no cabelo da menina. 



Pode ser perigoso quando esse tipo de mordida não é tratado com rapidez. Dentro de alguns dias, a paralisia pode piorar e a pessoa não conseguirá mais respirar, resultando em morte por asfixia. 
Quando o carrapato foi removido, a garotinha começou a se sentir melhor logo no dia seguinte. A coceira ao redor da mordida era a única reclamação de Evelyn nos dias que se seguiram. 
O vídeo do Facebook de Amanda também mostra os efeitos severos da paralisia: 

"Agora ela já voltou ao seu estado de felicidade anterior", Amanda escreveu no Facebook. Toda essa provação teve um final feliz, mas esse problema deve ser levado a sério e os pais devem saber dos perigos da mordida do carrapato. 


Fonte: cnn, dailymail, Amanda-Lewis, medizinfo


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário