Páginas

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Pai de família desabafa após ser humilhado e demitido do trabalho por causa de sua condição rara


Imagem de reprodução
Ashraf-ud-din, 70 anos, de Karachi, Sinde, sul do Paquistão, sofreu toda a sua vida com uma condição chamada macrodactilia, uma forma congênita de gigantismo.

Pai de três filhos, ele é incapaz de conseguir um emprego para sustentá-los, uma vez que suas mãos são anormalmente grandes e malformadas. Embora anteriormente estivesse trabalhando em um restaurante, ele foi demitido pelo fato de que alguns clientes se recusavam a aceitar seu serviço. Hoje, anda pelas ruas da cidade pedindo dinheiro, mas o que recebe são apenas insultos de estranhos. 





As numerosas tentativas do paquistanês em conseguir trabalho provaram-se infrutíferas, o que o deixou desesperado. Ele precisa de rendimentos para sustentar os filhos pequenos, o menor com apenas 18 meses de vida. Ele ganha por dia cerca de 400 rúpias (R$12), juntamente com uma série de ofensas proferidas por estranhos que o ridicularizam com comentários desagradáveis. Curiosamente, sua família e amigos mais íntimos sequer sabem que ele está mendigando, uma vez que está demasiado envergonhado para confessar-lhes isso.




“As pessoas sempre me provocam”, disse ele. “Elas dizem que eu sou amaldiçoado ou fui castigado por Deus. Elas se sentem desgostosas quando olham para mim. É muito humilhante”. “O tamanho das minhas mãos me impediu de ter qualquer habilidade ou talento para ganhar dinheiro”, continuou. “E as pessoas não me dão um emprego devido à condição, então eu não tenho outra escolha senão pedir. Não é minha profissão por escolha, mas por desespero”. “Eu fiz tudo para encontrar um emprego. Eu até tentei trabalhar em um restaurante há alguns anos, mas as pessoas se recusaram a aceitar comida de mim, então fui demitido. Desde então, ninguém me recrutou”, acrescentou.



Contudo, Ashraf se recusa realizar qualquer tipo de cirurgia, e coloca suas esperanças em Deus. Ele disse que os médicos sugeriram amputação, mas acredita que Deus, um dia lhe será favorável. “Rezo diante de meu Senhor que um dia ficarei bem”, disse. “Eu desejo abrir um comércio para que eu possa prover minha esposa e filhos”. “Desejo que alguém possa me ajudar a alcançar esse sonho. Meus filhos sofrem devido à minha condição e quero que eles tenham algo melhor do que posso oferecer”, acrescentou.


Daily Mail
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário