Páginas

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Família vende tudo que tem e implora por ajuda para salvar filho com estômago expandido


Imagem de reprodução
Como resultado, seu estômago se expandiu e, em razão do acúmulo de líquidos, desenvolveu uma pesada massa na região abdominal. Logo, o garoto é incapaz de andar corretamente ou dormir confortavelmente, bem como vomita toda vez que come. Médicos informaram aos pais adotivos de Alam que somente uma cirurgia de quase 9.000 reais poderia mantê-lo vivo, de acordo com o Daily Mail.



Shahanur está tão desnutrido que seus ossos já estão visíveis, embora sua barriga se projete de forma desproporcional. Seus pais, Shamela e Salim-ud-Din, agora esperam por um milagre para que possam salvá-lo, e pedem ajuda ao governo do país para arcar com o preço da cirurgia.“Ele está com muita dor”, disse a mãe. “Não podemos nem tomar medidas por causa do peso da barriga”.



“Ele não faz refeições completas. Nós o alimentamos a força com arroz, mas ele sempre vomita. Olhe para ele. É apenas ossos e nenhuma carne. Seu estômago está crescendo cada vez mais e tememos que se ele não receber ajuda, vamos perdê-lo em breve”.
O pai de Shahanur acrescentou que o tempo está correndo. “Nós entendemos que não podemos dizer a ele que a qualquer momento, se não for operado em breve, poderá morrer”.
“Não temos dinheiro, mas esperamos que o governo e as pessoas estendam suas mãos e nos ajudem a salvar nosso filho”, disse.
O casal, que também tem uma filha biológica, adotou Shahanur quando este tinha apenas sete meses de vida. Felizes em tê-lo, a princípio acreditavam que era uma criança saudável. Mas, a saúde do menino começou a mudar quando completou dois anos. Ele se queixava de dores intensas na barriga, e os pais acreditavam se tratar de uma infecção. Mas, com o tempo, a barriga da criança começou a crescer de forma anormal.


Embora tenha passado pela avaliação de uma série de médicos, nenhum soube diagnosticar o problema. Neste ponto, a saúde de Alam ficou tão ruim que teve que abandonar a escola. Os pais, desesperados, venderam todos os bens e usaram o dinheiro para levá-lo a um hospital maior e melhor equipado. Uma vez lá, os médicos determinaram que a criança estava sofrendo com uma acumulação de líquido no abdômen. Eles disseram a Salim e sua esposa que a única maneira de salvar Alam era fazendo uma operação, mas isso custaria algo em torno de 9.000 reais.
“Nós não tínhamos dinheiro, então o trouxemos de volta para casa”, disse Shamela. “Já esgotamos todas nossas economias e gastamos cerca de R$ 74 – 112 por mês com medicamentos”.
Trata-se de um acúmulo de fluídos no revestimento dos pulmões, podendo ser um sintoma de câncer. A pleura possui duas camadas e produz um fluído que ajuda os pulmões a se moverem quando respiramos. Por vezes, quando células cancerosas se espalham até ela, este fluído se acumula pressionando os pulmões, provocando falta de ar.
O diagnóstico pode ser feito por meio de uma radiografia no tórax ou ultrassom. Para tratá-lo, o fluído deve ser lentamente drenado. Isso geralmente é feito por meio de um tubo colocado no tórax. Caso haja um segundo acúmulo, o paciente deverá drená-lo novamente.
Para impedir que isso ocorra novamente, pode ser necessária a quimioterapia ou terapia hormonal para tratamento de câncer.



Daily Mail, via Jornal Ciência
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário