Páginas

terça-feira, 23 de maio de 2017

Esta é a verdadeira história por trás da “loira do banheiro”


Imagem de reprodução
Conhecida por todos os brasileiros em sua época de escola, a famosa “loira do banheiro” possui inúmeras versões de sua morte, sendo a mais conhecida a de uma garota que, ao matar aula no banheiro, escorregou, bateu a cabeça e morreu. Mas, pasmem, a história real dessa personagem é completamente diferente – e sim, existe de verdade a história da loira do banheiro!
Tudo começou quando Maria Augusta de Oliveira, filha do Visconde de Guaratinguetá, foi obrigada a casar aos 14 anos de idade. Após quatro anos, a garota fugiu de seu marido e foi para Paris, onde viveu até o fim de sua vida. Maria Augusta morreu aos 26 anos, no ano de 1891 de causas desconhecidas. Especula-se que a moça tenha falecido devido à hidrofobia (raiva), que provocava a desidratação da pessoa. Uma empregada do casarão da família teria dito que assim que Maria faleceu, um espelho se quebrou.




O corpo da jovem foi encaminhado para o Brasil, mas, o caixão onde o corpo de Maria estava, fora violado, pois ladrões roubaram as joias que estavam junto a ela. Desta forma, o atestado de óbito foi perdido.
Ao chegar no Brasil, o corpo de Maria ficou em uma redoma de vidro enquanto seu túmulo era construído no Cemitério dos Passos, sua cidade natal. Diz a lenda que Maria saiu de sua redoma e ficou vagando pela casa. Outras versões contam que a suposta morte pela hidrofobia teria feito sua alma vagar e fazer barulhos estranhos nos banheiros, abrindo as torneiras em busca de água.
Posteriormente, no ano de 1902, o casarão do Visconde de Guaratinguetá veio a se tornar a atual escola estadual Conselheiro Rodrigues Alves. Porém, um incêndio misterioso no prédio, em 1916 só reforçou a história da “loira do banheiro”.


Apesar das diferentes versões da história e do ritual para “invocá-la”, a lenda continua assombrando inúmeras pessoas.


Informações: Gooru
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário