Páginas

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Vídeo mostra galinhas vivendo em condições inimagináveis em fazendas produtoras de ovos; assista


Imagens horrorosas revelam as condições miseráveis ​​sofridas por galinhas em fazendas produtoras de ovos.

O vídeo mostra galinhas embaladas em fileiras de gaiolas filmadas como parte de uma investigação de um ano feita pela instituição filantrópica vegana, a Viva. Os gabinetes foram projetados para dar às galinhas mais “liberdade” após as gaiolas menores serem proibidas em 2012.

Ativistas que visitaram fazendas em todo o Reino Unido afirmam que as condições permanecem terríveis.Eles visitaram fazendas em 2015 e 2016, numa tentativa de expor as condições das galinhas. O vídeo mostra como agricultores são obrigados a manter estoques de aves para evitar de pegar a gripe aviária, uma restrição que está em vigor desde 6 de dezembro.



De acordo com as regras da União Europeia, eles foram autorizados a continuar a rotular como “criados soltos” a carne e os ovos dos animais até ao dia 28 de fevereiro.No entanto, após essa data, já não lhes era permitido fazê-lo. Redes de supermercado britânico como Tesco, ASDA, Morrisons eLidl prometeram parar de vender ovos de galinhas nessas condições, mas não até 2025.





Durante as filmagens em uma fazenda, Julia Gellatley, fundadora e diretora de Viva, disse: “Este lugar é como um campo de concentração.” Essas chamadas “gaiolas de beneficiamento” que são, supostamente, para o bem-estar dos animais, são absolutamente terríveis. Em uma fazenda, eles afirmam que encontraram até 400 mil aves amontoadas em um único galpão, e as galinhas tinham um espaço do tamanho de cartão postal para ficar.
Imagens chocantes mostram cadáveres de galinhas mutilados deitados no chão sujo entre pássaros vivos, alguns dos quais foram deixados por tanto tempo, que restaram apenas penas e ossos. Um outro vídeo mostra pássaros que têm seus bicos aparados em uma correia transportadora. Pilhas de galinhas mortas e descartadas são amontoadas em uma cova de rodas embalada com larvas na mesma fazenda, enquanto a maioria das aves em todos os locais tinha poucas penas e bicos mutilados.



Algumas fazendas são credenciadas ao RSPCA Assured Scheme, que é dedicado ao bem-estar dos animais. A autora do relatório, Claire Palmer, disse que a investigação mostra que, independentemente dos rótulos das caixas, os ovos causam dor, problemas de saúde e sofrimento numa escala inaceitável. “Quatro anos após a gaiola ser proibida, 18 milhões de galinhas permanecem encarceradas em gaiolas. Os consumidores britânicos estão sendo enganados e nós os exortamos a não apoiar a crueldade”, disse.
A instituição Viva disse que a crescente pressão pública resultou em uma onda de promessas pelas redes de supermercados como Tesco, Aldi, Asda, Morrisons. Mas eles disseram que essas proibições não entrarão em vigor por mais nove anos.

Informações: Daily Mail, via Jornal Ciência 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário