Páginas

terça-feira, 21 de março de 2017

Elas eram obrigadas a diminuir os seus próprios pés. Mas o motivo para isso, é bizarro.


Imagem de reprodução
A maioria das pessoas, certamente, se sente desconfortável em calçar sapatos apertados. Porém, na china as garotas eram obrigadas a usar calçados de números bem inferiores em relação aos seus pés.








A tradição de encurtamento de pés foi banida há mais de 100 anos, porém, algumas mulheres idosas ainda possuem essa característica, pois, foram submetidas à prática quando ainda eram crianças. Também conhecida como pés de lótus a deformação era um símbolo de beleza e status e ajudava as garotas a conseguir um marido já que os chineses acreditavam que quanto menor o pé, maior a sensualidade da mulher.







As mulheres que não tinham os pés encolhidos ficavam solteiras. Além disso, por mais perturbador que pareça, segundo acreditava-se, por terem menos suporte nos pés (que ficavam menores), as chinesas deveriam contrair os músculos das coxas e bumbum exigindo muito mais força para caminhar. Essa contração continuada deixaria a região pélvica mais forte e aumentaria o prazer do marido durante a relação.



O processo torturante era iniciado quando as meninas tinham entre quatro e nove anos, antes que seus pés estivessem totalmente desenvolvidos e geralmente eram realizados durante os meses de inverno.





Essa prática fazia com que as meninas tivessem dificuldade de caminhar e se acidentassem com frequência. Elas ficavam a maior parte do tempo sentadas e precisavam da ajuda de outras pessoas para se levantar. Viver dessa maneira deformava os ossos do quadril e coluna, aumentando o risco de ocorrer fraturas do fêmur.


Os pés ficavam embebidos em uma mistura quente de ervas e sangue animal para suavizá-los e as unhas dos pés eram cortadas o mais rente possível. Os dedos eram enrolados para trás e depois pressionados para baixo e espremidos pela sola até que se quebrassem. Os dedos quebrados eram dobrados em direção a sola do pé, criando um formato côncavo. 


Como já era de se esperar, as meninas passavam a ter muita dificuldade para caminhar e sofriam quedas frequentes. Por conta disso, elas permaneciam sentadas durante a maior parte do tempo, e precisavam da ajuda de outras pessoas para se levantar. Viver assim desde a infância eventualmente deformava os ossos do quadril e coluna, aumentando também riscos de fraturas do fêmur. Uma vez que a condição afetava a capacidade de locomoção, a característica passou a ser vista como um sinal de riqueza, já as pessoas mais ricas não precisavam caminhar ou trabalhar em campos. 





Isso explica por que famílias pobres adotaram a prática: era uma tentativa de atrair pretendentes ricos ou nobres. Apenas em meados do século XX o governo chinês baniu a prática, porém ela se manteve em segredo durante anos. Atualmente é possível encontrar algumas senhoras que mostram seus pés com orgulho.

Informação: Daily Mail


Edição: NC





Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário