Páginas

sexta-feira, 10 de março de 2017

Esta menina de 5 anos só queria participar de uma brincadeira na internet. Mas o que ela fez depois, deixou todas as autoridades em alerta.


Imagem de reprodução
A polícia russa está investigando uma nova forma de golpe na internet que tem como alvo meninas jovens e é inspirada em uma popular animação chamada “Clube das Winx: Escola de Bruxas”. O “jogo” pede às garotas que secretamente liguem o fogão de casa e repitam palavras mágicas que as tornarão “fadas do fogo”, de acordo com informações do Daily Mail.




Sofia Ezhova, uma menina de cinco anos, foi uma das vítimas da brincadeira e acabou ficando com as costas gravemente queimadas após um acidente com fogão a gás. A polícia descobriu sobre a história depois que pais, na região de Vladimir, prestaram queixas, de acordo com o tenente-coronel Andrei Tutuev.
O jogo foi disseminado por meio das redes sociais na forma de um inofensivo cartaz modelado com as personagens do Clube das Winx, a fim de atrair as crianças.



“À meia-noite, quando todo mundo estiver dormindo, levante-se de sua cama e circule a sala por três vezes dizendo as palavras mágicas: ‘reino Alfey, pequenas e doces fadas, me deem o poder. Eu lhe peço”, dizia o post. “Então, vá para a cozinha silenciosamente para que ninguém note você ou a magia das palavras desaparecerão. Ligue o gás do fogão, as quatro bocas, mas não os acenda. Você não quer se queimar, certo? Depois volte a dormir que o gás mágico virá até você. De manhã, quando acordar, diga: ‘Obrigado Alfey, eu me tornei uma fada’. E você se tornará uma verdadeira fada do fogo”.
De acordo com a investigadora Irina Minina, pode se tratar de algum tipo de jogo suicida. “Nós estamos procurando por aqueles que estão espalhando essas mensagens”, disse. O Comitê de Investigação Russo (equivalente a um FBI) acredita que o verdadeiro objetivo dos criadores seja provocar pânico entre os pais.

“Eu acordei durante a noite sentindo um forte cheiro de gás. Minha filha de sete anos tinha acabado de sair da cozinha e ir para o quarto”, disse uma mãe que não quis ser identificada. “Descobri que ela tinha visto na internet tudo o que precisava fazer para se tornar uma fada do fogo. Se eu não tivesse ido verificar na madrugada, nossa família não teria acordado pela manhã”.
“Falei com ela, e me prometeu que nunca mais me esconderia seus planos e me contaria tudo”, acrescentou. O CEO da empresa Rainbow, Iginio Straffi, que é responsável pela marca Winx Club, apelou ao Ministério Público de Moscou para exigir uma ação criminal contra os criadores do golpe.
“A Rainbow lamenta profundamente a distribuição de material, que aparentemente contém instruções para cometer suicídio e usa personagens do Clube das Winx”, disse ele. “A Rainbow, cujos produtos visam promover os valores de bondade em crianças, ficou chocada com materiais tão cínicos, aparentemente com o objetivo de causar danos às crianças”.
Irina Yarovaya, parlamentar russa, chamou a incitação à morte promovida pelo jogo de “manipulação da consciência humana”, e disse que as leis existentes não são adequadas para tal crime. “Não é algo feito por amadores, mas por profissionais”, acrescentou.

Informações: Daily Mail, via Jornal Ciência




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário