Páginas

sexta-feira, 10 de março de 2017

Esta mãe levou a filha de 4 anos para nadar na banheira do hotel. Mas quando ela a puxou, viu o intestino dela em suas mãos.


Imagem de reprodução
Nicola Floyd, 28 anos, residente da Bulgária, contou em entrevista ao Daily Mail sobre o momento em que presenciou sua filha, Isabella Hristova, de apenas quatro anos, ser sugada por um filtro de banheira de hidromassagem de hotel. A menina, que sofreu danos severos nos intestinos, teve de ser colocada em coma induzido e ligada em máquinas de suporte à vida. No entanto, quatro dias depois do incidente ela conseguiu despertar.

Antes da tragédia, que ocorreu no dia 25 de fevereiro, Nicola e seu marido, Hristo Hristov, de 36 anos, costumavam colocar Isabella em uma piscina todos os sábados para que ela pudesse aprender a nadar antes de começar a andar. No entanto, no dia em questão estava frio para ela nadar do lado de fora, então os pais a levaram a um hotel próximo, Admiral Hotel, em Zlatni Piasatzi, para que pudessem usar uma banheira de hidromassagem. “Todos nós entramos na banheira”, contou a mãe. “Nunca deixei Isabella sozinha”.


“Eu estava sentada no canto esquerdo e minha mãe [Barbara Burchell, 49 anos] no direito, enquanto Isabella brincava entre nossas pernas”, continuou. “Ela odiava sair da água, então no momento em que estávamos nos preparando para sair, ela foi se sentar em um dos cantos”.
No entanto, a família não percebeu que o canto escolhido era o do filtro. “Ela não chorou, apenas começou a gritar: ‘Minha barriga! Minha barriga!”, contou. “Ela tinha sido sugada e não tinha força suficiente para sair. Tentei de tudo, mas também não consegui retirá-la”. Minha mãe correu para buscar um salva-vidas e os funcionários do local desligaram a eletricidade. Foi então que conseguir segurá-la. Quando a puxei, seu intestino estava em minhas mãos”, acrescentou.


Levada às pressas para o hospital, ela precisou passar por uma cirurgia de três horas para corrigir os danos nos intestinos. Ficou em coma induzido por quatro dias, dentro da ala infantil de emergências, mas felizmente no dia 3 de março ela acordou, e a primeira coisa que pediu foi que a mãe lesse uma história.




Embora esteja relativamente bem, a família ainda não foi informada sobre as sequelas do incidente. “Ninguém pode nos dizer muito no momento. Não temos ideia do impacto em longo prazo”, disse Nicola. “Seu estômago ainda está aberto e ela precisará passar por mais uma cirurgia para fechá-lo”.
“Estamos levando as coisas dia após dia”, continuou. “Os médicos foram incríveis, salvaram a vida da minha garotinha”. Em um comunicado, um porta-voz do Admiral Hotel, disse que o local “expressa sua inteira preocupação e compaixão à família por ocasião do grave acidente” e que por meio deste afirma sua intenção de que o ocorrido será investigado para que ações sejam tomadas.

Informações: Daily Mail, via Jornal Ciência
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário